Grupo Fuzarca publica nota sobre votação no Conselho Deliberativo

06/03/2020 às 12h56 - POLÍTICA

Os votos do atraso

Geralmente é difícil identificar aqueles que dificultam o avanço do Vasco. Não dessa vez, ainda que por triste motivo.

Com a última reunião do Conselho Deliberativo, aquela que concluiu a reforma do Estatuto, ficou fácil para nós, vascaínos, vermos quem se opôs a implementar simples, mas importantes mudanças organizacionais, mantendo o Vasco no atraso no âmbito organizacional, ignorando regras de gestão que visam acabar com a famosa “legislação em causa própria”.

Apenas para dar exemplo, imaginem que o Conselho Deliberativo vote algo de importância para a Diretoria Administrativa. Alguém duvida que o presidente possa usar um possível atraso no pagamento de serviços à empresa ou escritório de algum conselheiro para influenciar seu voto, “contaminando” o julgamento deste conselheiro? Ou então, em uma deliberação do CD que pudesse influenciar contratos com fornecedores, como agiria um conselheiro que detivesse alguma empresa influenciada por essa decisão? Não haveria um conflito?

Não custa lembrar outras consequências devastadoras, como fuga de potenciais investidores, pois companhias sérias atualmente não aprovam acordos com instituições que não tenham estruturas e mecanismos de governança.

A questão é tão simples que o resultado foi alguns conselheiros votando constrangidos, outros escondidos por trás das pilastras, mas o fato é que 25 grandes beneméritos, 13 beneméritos e 16 conselheiros eleitos votaram contra o parágrafo 2 do artigo 57, que proíbe que funcionários e sócios que prestem serviço remunerado possam exercer mandato no Conselho Deliberativo.

Enquanto o nosso Clube segue desesperado para que sejam implementadas melhores práticas de gestão, com pelo menos os fundamentos essenciais da governança corporativa, alguns personagens da política vascaína querem continuar tratando o clube como feudo, um simples canteiro de serviços onde podem passar a nota a ser paga pelo clube, enquanto permanecem com poder de influência, em claro conflito de interesses.

A lista está nesse link. Cada um tire sua própria conclusão sobre a causa de cada conselheiro sobre o voto contra este item do estatuto.

https://globoesporte.globo.com/futebol/times/vasco/noticia/veja-como-conselheiros-do-vasco-votaram-item-que-encerrou-debate-do-estatuto-no-deliberativo.ghtml

Pra finalizar, um feedback. Não se pode admitir é o camarada cantar Compliance em rede social, mas na hora de ver quem tem garrafas pra vender, se abster de votar pra não ficar mal com os conselheiros prestadores de serviço.

Se não tem pulso firme em algo simples e claro como isso, não deveria cogitar se candidatar a presidente.

Fonte: Site Fuzarca