Grupos de J. Amorim e Adriano Mendes querem aparecer mais na próxima gestão

10/01/2020 às 20h29 - POLÍTICA

Quem vive a política do Vasco garante: o rompimento de João Marcos Amorim, vice de finanças, e Adriano Mendes, vice de controladoria, com o presidente Alexandre Campello pode ser tudo, menos uma surpresa. Para todas as partes envolvidas. Há meses que os grupos dos quais eles fazem parte articulam a saída da diretoria. O máximo que pode ser dito é que o período, janeiro de 2020, não era o esperado.

Inicialmente, a expectativa era de que os dois dirigentes permanecessem na gestão até abril ou maio. A partir daí, sairiam para articularem uma candidatura própria para a presidência. É interesse tanto da "Cruzada Vascaína", de Amorim, quanto do "Desenvolve Vasco", de Mendes, terem maior protagonismo na próxima gestão. Os dois têm angariado aliados, o que inclui o grupo "Confraria Vasco".

Entretanto, a resposta de Campello aos sinais de descontentamento ajudou a acelerar o processo. O caso da contratação de Germán Cano é um exemplo. Mesmo com as recomendações para restringir os gastos com o futebol, o dirigente partiu para Buenos Aires para fechar com o atacante, único reforço até agora do clube para 2020. A forma centralizada como conduziu a negociação não agradou. João Marcos Amorim se divide entre o trabalho no Vasco e a remuneração como economista. O receio de que o desempenho ruim das finanças do clube repercutisse na sua vida profissional pesou para que saísse.

Adriano Mendes, por sua vez, tem dito a pessoas próximas que espera apenas a entrada do dinheiro referente ao empréstimo feito para o pagamento dos salários atrasados para se desligar oficialmente da diretoria. A expectativa é de que o repasse do Banco BMG aconteça nos próximos dias e alivie o aperto de funcionários e jogadores.

Procurada para comentar a saída de João Marcos Amorim da vice-presidência de finanças do Vasco, a assessoria informou que o clube deverá se pronunciar a respeito, mas dificilmente ainda nesta sexta-feira.

Com a antecipação da saída da diretoria, as conversas para a composição de uma chapa devem se intensificar. O grupo "Ao Vasco Tudo", de Otto de Carvalho Júnior e Diego Carvalho, tem boas chances de se juntar a eles.
 

Fonte: O Globo Online