Jogadores do Vasco mantém "lei do silêncio" em protesto aos atrasados

29/02/2020 às 21h15 - CLUBE

A "lei do silêncio" que os jogadores do Vasco já haviam aplicado durante a semana foi mantida antes, durante e depois do empate em 1 a 1 com o Resende hoje (29) no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ).

Os atletas vascaínos decidiram não conceder entrevistas em protesto aos salários atrasados recorrentes no clube. A tendência é a de que a posição se mantenha até a situação ser regularizada ao menos parcialmente.

O Vasco deve aos jogadores dezembro, janeiro, 13º (segunda parcela), férias e direitos de imagem. E aos funcionários dezembro (quem recebe acima de R$ 1,8 mil), janeiro, 13º e férias.

Fora do Brasil nos últimos dias por conta de viagem à Europa com a família, o presidente cruzmaltino, Alexandre Campello, esteve presente na partida e foi xingado pelos torcedores após o apito final.

O Vasco volta a campo na próxima quinta-feira (5), onde recebe o ABC no Maracanã pela segunda fase da Copa do Brasil. 

Fonte: UOL