Jogo desta quarta (5) vira decisão para o Vasco na temporada

03/02/2020 às 08h01 - FUTEBOL

A Copa Sul-Americana é encarada por comissão técnica e diretoria do Vasco como uma das possibilidades mais plausíveis de se conquistar um título na temporada. Após a eliminação precoce na Taça Guanabara, o Cruzmaltino encara o jogo desta quarta-feira (5), contra o Oriente Petrolero (BOL), às 21h30, em São Januário, como uma verdadeira decisão.

O clima, porém, está longe de ser ameno no clube. Aposta do presidente Alexandre Campello, o técnico Abel Braga já se encontra pressionado no cargo e tem sido vaiado desde a primeira partida oficial da temporada.

Ontem (2), por exemplo, na derrota para o Botafogo, o treinador foi xingado ainda no intervalo, quando o jogo ainda estava 0 a 0.

Experiente, Abel tenta encarar as vaias com naturalidade e diz que ainda está conhecendo o elenco, em sua maioria formado por garotos formados na base.

"Os que tiverem que ser aproveitados serão. Eu estou os conhecendo, eles estão me dando resposta. Me deram uma resposta muito boa contra o Flamengo até os 30 minutos do primeiro tempo, depois caíram um pouco. Eu tenho que encontrar o melhor para o Vasco, o torcedor pode ter certeza disso. Ele vaiou? Tudo bem, ele é soberano. Perdeu? Perdeu. É frustrante? Sim. Concordo plenamente, mas ele pode ter convicção que isso vai mudar. Vamos fazer de tudo para que comece na quarta-feira. Jogo que tem que tomar certo cuidado", disse.

Saiba como assistir a grandes jogos do Brasileirão ao vivo com o EI Plus! Experimente agora com o UOL Esporte Clube!

Mesmo em baixa com os torcedores, Abel fez um apelo para que os vascaínos compareçam em massa em São Januário:

"Por favor, torcedor vascaíno. Compareça na quarta, leve seu incentivo que nós vamos conseguir e fazer muito melhor", pediu.

Abel nega influência dos salários atrasados

Durante a entrevista coletiva concedida após a derrota no clássico, Abel negou que os salários atrasados estejam influenciando nos resultados do Vasco neste início de temporada.

"Nada disso. Se estivesse afetando eles, não estavam correndo. Aqui não falamos sobre esse problema. Temos muita consciência do tamanho disso aqui, do que representa. Essa satisfação é maior do que qualquer reclamação, porque sabemos que quando tiver possibilidade será resolvido", projetou.

O Vasco deve aos jogadores dezembro, 13º e férias. Alguns deles também têm direitos de imagem em atraso.

Fonte: UOL Esporte