José Luiz Moreira pede autonomia a Campello para gerir o futebol do Vasco

19/03/2020 às 08h33 - CLUBE

Há muita boataria, com especulações sem fundamento, em torno do nome do substituto de Abel Braga no comando técnico do Vasco.

Mas agora a coisa deverá andar.

O presidente Alexandre Campello e o virtual vice-presidente de futebol José Luís Moreira começaram a alinhar as ideias para o departamento.

Porque antes mesmo de escolher o nome do treinador a ser procurado, os dois precisavam acertar como será a relação no comando da pasta.

E isso ocorreu na noite desta quarta-feira (19), no primeiro enconto entre ambos visando à costura de uma nova parceria.

Porque Moreira, ex-vice de futebol nas gestões Eurico Miranda, não quer ser nomeado apenas por conveniência financeira.

O vice-presidente no Conselho de Beneméritos aceitava colaborar com a atual administração, mas queria autonomia para gerir o futebol do clube.

Significa rever o número de funcionários do departamento profissional e amador, e rediscutir o gerenciamento para potencializar os recursos.

Em resumo: para ser o novo gestor da pasta mais importante, o grande benemérito pediu independência – e Campello não tinha como rejeitar.

Explico.

Desde que assumiu a presidência de um Vasco envidado e com as receitas antecipadas pelo antecessor, o médico convive com a dificuldade de caixa.

Principalmente no primeiro semestre, quando não tem as cotas da TV.

Em 2018, venceu tais percalços com a venda do atacante Paulinho para o Bayer Leverkusen, em março.

Como não conseguir vender Marrony no final de dezembro de 2018, abriu 2019 com buraco só saneado com o aval bancário do parceiro Carlos Leite.

As penhoras do final de 2019 impactaram o caixa e o clube pisou em 2020 com o déficit de aproximadamente R$ 40 milhões, que hoje o atormenta.

Acontece que o "empresário-parceiro", aquele que emprestava dinheiro a juros abaixo do mercado, optou por não socorrer o clube em ano eleitoral.

E sendo assim não restou outra saída a Campello senão atender ao apelo de outros grandes beneméritos que veem em Moreira a saída mais viável.

O novo colaborador socorria o Vasco nos apuros de Eurico Miranda e tem crédito a ser pago pelo clube em confissão de dívida atestada pela Justiça.

Agora chega com novo plano para saldar salários atrasados de jogadores e funcionários – mas quer acesso aos custos e autonomia na gestão.

De volta ao cargo que ocupou pela última vez em 2015, quando rompeu a parceria com o ex-presidente, José Luís Moreira quer sacudir a poeira.

E a partir daí recuperar a autoestima dos vascaínos... será?

Fonte: Blog Futebol, Coisa & Tal - Extra Online