Juiz nomeia interventor para a Ferj

09/03/2006 às 17h04 - POLÍTICA

A sentença que afasta Eduardo Viana e toda a diretoria da Federação de Futebol do Rio (Ferj), promulgada pela juíza Márcia Cunha, da 7ª Vara empresarial, foi publicada nesta quinta-feira no Diário Oficial. Contudo, a publicação era aguardada pelos advogados da entidade.

A surpresa ficou por conta da nomeação de um interventor que comandará a Ferj pelo período de 30 dias, prazo estipulado na decisão para que sejam realizadas eleições de uma diretoria provisória, que assumirá a federação, a princípio, até o fim do mandato da atual gestão, em 2007.

A assessoria da Ferj informou que a defesa para caçar a decisão de primeira instância já está sendo preparada e que Eduardo Viana se prepara para deixar a presidência tão logo seja publicada a aceitação do advogado Inácio Nunes, pai do jogador Leonardo Inácio.

Com a antecipação de tutela concedida por Márcia Cunha, os dirigentes ficarão afastados até o fim do processo, a menos que consigam um mandado de segurança, como explicou o promotor e autor da ação que teve início em 2004, Rodrigo Terra.

O processo agora pode demorar alguns dias. A publicação da aceitação de Inácio Nunes depende, primeiro, da notificação de Eduardo Viana por um oficial de Justiça. Caso se negue a deixar a presidência, a sentença determina que Inácio terá autoridade para convocar uma força policial para retirar os dirigentes da entidade.

O processo que afasta Eduardo Viana e a diretoria da Ferj é baseado no Estatuto do Torcedor. Acusa a entidade de falta de transparência contábil e falta de planos de ação e segurança para as competições, incluindo o Campeonato Carioca.

Fonte: GloboEsporte.com