Julio Brant diz que optaria por outra homenagem as vítimas de incêndio

14/02/2019 às 10h38 - POLÍTICA

A surpreendente homenagem feita pelo Vasco da Gama às vítimas do incêndio que ocorreu no Ninho do Urubu na última sexta-feira (08), onde foi colocada a bandeira do Flamengo acompanhada da frase: “Em frente, juntos”, na camisa da equipe na partida contra o Resende, continua rendendo em São Januário.

Agora foi a vez do conselheiro Julio Brant, líder do grupo ‘Sempre Vasco’, se manifestar sobre a homenagem feita pelo Vasco, que logo tomou grande repercussão entre vascaínos, imprensa e membros da política do Clube.

Julio Brant classificou a homenagem como válida, embora preferisse uma ação que fosse destinada diretamente às vitimas do incêndio e seus familiares. Ele ainda destacou que foi a negligência dos gestores do Flamengo levou à tragédia, que matou dez jovens jogadores e deixou três feridos.

“Apesar de não ter sido ouvido ou procurado oficialmente, minha posição é clara. Achei a homenagem muito válida. Embora entenda que o mais justo com as vítimas e suas famílias, com a história da camisa do Vasco e com os vascaínos fosse que cada jogador usasse, em sua camisa, o nome de uma das vítimas. Assim, estaríamos homenageando quem de fato merece. Acompanhei diversas reações distintas: orgulho, quebra de tradição, oportunismo da diretoria. Certos ou não, pequenos diante da dor dos familiares. Lembro que o que levou à tragédia foi a negligência dos gestores do Flamengo”, disse Brant.

O que se pôde notar da homenagem é que ela dividiu opiniões entre vascaínos, agitou a política do Clube, e teve uma grande aprovação por parte da imprensa e torcedores de outros clubes, incluindo muitos flamenguistas que se mostraram gratos pela ação do Gigante da Colina.

Fonte: Vasco Notícias