Livre no mercado, Rossi nutre muito carinho pela torcida do Vasco

02/01/2020 às 12h09 - FUTEBOL

O cenário mudou para Rossi. De maneira surpreendente, o atacante chegou a um acordo de rescisão com o Shenzhen, da China, onde tinha contrato até o fim de 2020. Com isto, o jogador agora se encontra livre no mercado da bola e desperta o interesse do Vasco - onde atuou por empréstimo em 2019 - e do Fluminense. A informação da ruptura foi dada inicialmente pelo perfil "Detetives Vascaínos" e confirmada pela reportagem.

"Ele está livre. 100% dos direitos econômicos são dele. A gente começa a negociar com os clubes hoje (2)", disse ao UOL Esporte o empresário do atleta, Dhari Pissetti.

Apesar da vontade do Cruzmaltino em renovar, o clube ainda deve ao atleta os meses de novembro, dezembro, 13º, férias e imagem, fato que faz com que Rossi só aceite negociar após a quitação das dívidas.

Aos mais próximos, o atacante não esconde o incômodo com a situação, e se mostra frustrado com as promessas de pagamento não cumpridas pela diretoria. Em algumas oportunidades durante as férias, inclusive, deixou isso claro em suas contas nas redes sociais.

Apesar de toda a chateação, Rossi nutre muito carinho pelo Vasco, onde se destacou e foi acolhido pela torcida, algo que tem pesado.

Em sua pelada de fim de ano em Prainha (PA), sua cidade natal, as camisas da partida beneficente, inclusive, eram alusivas ao Cruzmaltino. Suas contas no Instagram e Twitter também ainda estão com ele de camisa do Vasco.

Foi da base do Fluminense

O rival Fluminense surge como outra possibilidade para Rossi. Defender o Tricolor, aliás, não seria uma novidade para o atacante, que foi da base do clube do sub-17 ao sub-20.

Em entrevista ao UOL Esporte em setembro de 2019, o jogador admitiu que saiu do Fluminense por questões de indisciplina.

"A base do Fluminense sempre foi muito forte, e eu também sempre fui de fazer muita besteira nas concentrações, então, acredito que foi isso também. Eu saí porque eu fiz alguma besteira lá no Fluminense, mas não me recordo agora. Sei que do Fluminense fui para a Ponte Preta, acabei subindo para o profissional por lá e segui minha carreira", disse na ocasião.

Fonte: UOL Esporte