Luís Carlos Winck relembra bicampeonato brasileiro do Vasco

16/12/2019 às 08h03 - CLUBE

Há exatos 30 anos, o Vasco conquistava um dos seus maiores feitos atuando longe de São Januário. Diante de 71.552 pessoas no Morumbi, o time, comandado por Nelsinho Rosa, venceu o São Paulo por 1 a 0, sagrou-se bicampeão brasileiro e eliminou o jogo da volta no Rio de Janeiro.

Melhor colocado na classificação, o Vasco teve o direito de escolher o local do jogo de ida e só precisava de dois pontos (uma vitória ou dois empates) para ser campeã.

O elenco contava com jovens talentos, como Bismarck, Sorato e Willian, e com atletas mais experientes, como o goleiro Acácio, que foi o grande destaque da decisão, e a estrela Bebeto, recém transferido do Flamengo. Do outro lado, um time de respeito que tinha Ricardo Rocha, Raí, Bobô... Mas o troféu foi para o Rio de Janeiro.

A jogada da história cabeçada de Sorato começou ainda na defesa, que saiu ao ataque na base da troca de passes até que a bola chegou na ponta direita para o lateral Luiz Carlos Winck cruzar de primeira e deixar o atacante livre para entrar para a história do clube.

- Fico feliz por ser um dos atletas campeões, por ter participado da jogado do gol e por estar na história deste clube que tem um espaço muito especial no meu coração. Minha história com Vasco sempre foi bonita e o carinho que recebo dos torcedores até hoje é algo que me faz reviver a honra que é vestir esta camisa - disse Luís Carlos Winck.

Hoje treinador, Winck acompanha de longe a reestruturação do Vasco na busca para retomar o protagonismo no futebol brasileiro. Segundo ele, o clube sabe passar por dificuldades.

- Precisamos festejar esta data, pois foi um feito grandioso e que mostrou a grandeza do Vasco ao passar por dificuldades durante a competição e depois sagrar-se campeão.

Ao lado de outros campeões brasileiros, Luís Carlos Winck comemorará a conquista na noite desta segunda-feira, em um restaurante na Barra da Tijuca.

Confira as escalações naquela partida:

São Paulo: Gilmar Rinaldi, Nelsinho, Ricardo Rocha, Adílson, Netinho, Raí, Bobô, Flávio Paiva; Edvaldo (Paulo Cesar Cruvinel), Mário Tilico e Nei Bala. Técnico: Carlos Alberto Silva.

Vasco: Acácio, Luís Carlos Winck, Zé do Carmo, Marco Aurélio, Quiñónez; Mazinho, Bismarck, Willian, Boiadero; Bebeto e Sorato. Técnico: Nelsinho Rosa.

Fonte: GloboEsporte.com