Luis Fernandes comemora resultado da reunião do Conselho Deliberativo

29/07/2020 às 10h35 - POLÍTICA

Em sessão histórica, realizada pela primeira vez de forma remota por conta da pandemia, o Conselho Deliberativo do Vasco aprovou por amplíssima e qualificadíssima maioria (124 de 185 votantes) a ata da reunião do CD que aprovou a proposta final de reforma do Estatuto do clube.

A sessão realizada ontem contou com um número de participantes maior do que a realizada em 4 de dezembro de 2019, que aprovou, por unanimidade, incluir na proposta de reforma do Estatuto a realização de eleições diretas para Presidente já em 2020 (198 e 192, respectivamente).

Ao aprovar a ata e o texto final da Reforma do Estatuto por amplíssima e qualificadíssima maioria (mais de dois terços dos votantes, 124 a 61), o CD enterrou duas questões de ordem marotas e diversionistas apresentadas na reunião.

A primeira questionava o resultado das decisões tomadas por consenso ou por esmagadora maioria na reunião do CD, e verificadas por contraste visual de votos, alegando que deveria ter havido contagem nominal de votos em cada decisão (o que impossibiltaria a votação do Estatuto).

Por amplíssima e qualificadíssima maioria, o CD reafirmou e aprovou o registro da ata sobre a votação realizada.

Já outra questão de ordem incorporou o espírito do Barão de Itararé e tentou alterar a ata para se apresentar como vitorioso de uma votação que não houve.

Queria alterar a decisão tomada pelo CD na sessão de 4 de dezembro de 2019 que, como foi amplamente divulgado e sacramentado em ata, aprovou por unanimidade o encaminhamento (por mim apresentado) de incorporar à proposta de reforma do Estatuto as eleições diretas em 2020.

A questão de ordem apresentada queria alterar a ata da sessão seguinte, para indicar que o que havia sido aprovado era uma "alteração" do Estatuto, e não um item integrante da proposta de Reforma do Estatuto (como foi sacramentado em ata já aprovada anteriomente pelo CD).

Reunidos, os defensores das duas questões de ordem não chegaram a um terço dos votos na reunião. A ata foi aprovada por 124 votos a 61.

O art. 74 do Estatuto atual estipula que a Assembleia Geral só pode reformar ou alterar o Estatuto por proposta do Conselho Deliberativo. O CD não aprovou qualquer proposta de alteração estatutária. Aprovou uma proposta de Reforma do Estatuto, que inclui as diretas já em 2020.

Aprovemos as eleições diretas para Presidente do clube em 2020 nos marcos da reforma do Estatuto aprovada pelo Conselho Deliberativo, respeitando integralmente o rito estatutário.

Fonte: Twitter de Luis Manuel Rebelo Fernandes