Luxemburgo fala sobre estilo de jogo, CSA, Talles e jogos fora de SJ

04/08/2019 às 21h45 - CLUBE

Quem esperava críticas ao árbitro por um pênalti polêmico pedido pelo Vasco, viu um choque de realidade de Vanderlei Luxemburgo. Sincero, o treinador minimizou o lance em que os jogadores cruz-maltinos pediram toque de mão do volante Naldo, do CSA. Para ele, a equipe carioca não jogou bem e não mereceria a vitória.

- O juiz apitou um jogo pra ele, acho que é isso, acho que é aquilo. Não tem que lamentar, não. Nós ganhamos um ponto, porque a equipe não jogou bem. Se tivesse que ganhar, o CSA ganharia. Estiveram muito mais próximos da vitória do que nós - afirmou Luxemburgo.

 

O treinador assumiu a responsabilidade e ressaltou que também as substituições realizadas não surtiram efeito. Para ele, o time deve encarar a partida como um ponto ganho.

- Tivemos um primeiro tempo horrível, não criamos situações de gol. Não temos que falar nada de ninguém ao sair daqui. Tudo foi ruim. Bota eu também. As substituições não prestaram. Hoje não foi nada do jeito que queríamos. Vem para mim a responsabilidade. Não jogamos bem.

Confira outros tópicos da coletiva de Luxemburgo:

Estilo de jogo do time

- Temos uma característica, não podemos mudar. Encontramos um jeito de jogar. Os jogadores sabem como tempos que fazer. Temos que sair daqui equilibrados, saber que ganhamos um ponto porque não jogamos bem.

Confronto direto com o CSA

- Nós já saímos daquela confusão, estamos caminhando. A obrigação de ganhar é em todos os jogos. Não é o CSA. Dentro do que nós atuamos hoje, prefiro falar que ganhamos um ponto. Não jogamos bem. Temos que jogar de maneira diferente e ganhar todos os pontos que disputarmos. Acho que daqui temos que sair com uma noção exata do que somos.

Jogo fora de São Januário

- Eu comecei come esse estádio em 1983. Era técnico do Rio Branco. O Vasco não pode deixar de jogar em São Januário. Isso é fundamental. É um calor humano diferente, pressão diferente, uma série de coisas diferentes para jogar futebol. Não pode perder vantagem de jogar em São Januário. Não estou criticando o local, o jogo, mas é um estádio distante, a torcida fica muito distante dos jogadores. Temos que ter uma coisa um pouco diferente. Infelizmente não pudemos jogar lá por um negócio de luz.

Talles Magno

- Ele é muito jovem, ainda falta para ele algumas coisas, mas tem que jogar. Pode começarjogando ou entrar do banco. É um jogador que tem futuro. As decisões ainda são equivocadas, mas ele vai encontrar esse timing jogando. Ele tem que jogar, prende a bola na frente, não tem medo do adversário, tem personalidade. Ele vai encontrar o timing certo na tomada de decisão.

Fonte: Globoesporte.com