Luxemburgo já prepara vida do Vasco sem Talles por até oito jogos

11/10/2019 às 11h25 - FUTEBOL

Vanderlei Luxemburgo terá de quebrar a cabeça para montar o Vasco sem Talles Magno por até oito jogos do Campeonato Brasileiro, enquanto o atacante defende a seleção brasileira sub-17. Preocupado, o técnico já começou a ensaiar maneiras de o Cruz-Maltino jogar sem um de seus principais jogadores, mesmo com ele ainda em campo.

Talles enfrenta o Fortaleza no domingo, às 16h (de Brasília), em São Januário, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro, e se apresenta à seleção brasileira sub-17 para o Mundial da categoria. Se chegar à final, o atacante desfalca o Vasco em oito jogos. Por isso, Luxemburgo tem pensado em como vai montar seu time.

Nesta quinta-feira, durante o empate em 0 a 0 com o Avaí, o atacante Rossi foi deslocado para o lado esquerdo, onde Talles costuma jogar. O objetivo do treinador já era dar mais minutagem para o camisa 7 do Vasco onde ele deve ser escalado durante a ausência do garoto.

No intervalo, Talles, que não vivia uma noite inspirada, foi substituído por Felipe Ferreira. O meia, apesar de estar mais acostumado a jogar por dentro, não tão pelas pontas, pode ser escalado pelo lado direito, justamente onde a joia cruz-maltina atua. Também por isso Luxemburgo optou pela alteração.

- Eu fiz uma troca com o Rossi pela esquerda. Ele foi tão bem quanto pela direita. O menino (Felipe Ferreira) que entrou no meio de campo joga por fora e por dentro. A gente tem algumas situações que dá para não sentir tanto a ausência do Talles, que é um craque, mas vai ter um campeonato mundial sub-17 - disse Luxemburgo.

O técnico também voltou a criticar a CBF pela convocação de Talles Magno, que tem sido titular absoluto do Vasco no Campeonato Brasileiro. O Cruz-Maltino conseguiu adiar a apresentação do garoto para o próximo dia 14.

- Eu penso que os clubes não podem ser prejudicados. Aí falam: "Ah, mas é um menino sub-17". Não existe mais sub-17. No sub-17 já estão todos jogando no profissional. A CBF tem de entender que são jogadores titulares em seus clubes e fazem falta. Mas a CBF pensa muito nela e esquece dos clubes.

Fonte: GloboEsporte.com