Luxemburgo supera desconfiança e ganha apoio dos vascaínos

28/08/2019 às 08h16 - FUTEBOL

Padrão tático, ascensão na tabela do Campeonato Brasileiro, sinceridade e muito respeito à história do Vasco da Gama. Após chegar sob desconfiança, o treinador Vanderlei Luxemburgo rapidamente caiu nas graças da torcida aliando resultados e carisma mesmo sendo um torcedor declarado do Flamengo, principal rival do clube de São Januário.

Na vitória do último domingo sobre o São Paulo por 2 a 0, por exemplo, ele foi ovacionado pelos vascaínos diante de um São Januário lotado com mais de 20 mil pessoas, provando que está com o prestígio em alta na Colina Histórica.

Abaixo o UOL Esporte enumerou alguns itens que justificam a atual situação:

Aproveitamento de 7º colocado

O ponto de partida da empatia dos vascaínos com Luxa é a eficiência que o treinador tem demonstrado à beira do campo. Após pegar o time na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, ele somou pontos e melhorou a situação na tabela, estando atualmente a seis do grupo da degola e na 14ª colocação.

Mais do que isso, o técnico tem um aproveitamento de sétimo colocado, com 52%, sendo cinco vitórias, quatro empates e três derrotas.

Após a vitória sobre o São Paulo, Luxemburgo prometeu que a equipe continuará nesta batida:

"Não é uma vitória que vai mudar nosso comportamento. Vamos continuar crescendo como Vasco".

Preleções motivacionais

Outro ponto de fundamental importância nesta conexão com time e torcida tem sido suas preleções antes e depois das partidas, enaltecendo a história do Vasco e repetindo o discurso de grandeza do clube quase como um mantra. A TV oficial do clube tem gravado e divulgados estes momentos, e os vídeos têm viralizado nas redes sociais.

O último, por exemplo, foi após o jogo com o Tricolor paulista onde, orgulhoso, enalteceu a atuação enquanto era observado pelos jogadores:

"Hoje jogamos como Vasco da Gama. Grande para c...! A nossa casa, fazendo o adversário saber que aqui é f... para ganhar da gente".

Sincerão

O discurso "sem ilusões" de Luxemburgo sobre a realidade da equipe no Campeonato Brasileiro é um dos que os vascaínos já estão acostumados, mas a sinceridade chega até mesmo no trato com a diretoria, principalmente quando serve de elo entre o elenco e os dirigentes no que se refere aos atrasos salariais.

O treinador comprou e tem cobrado a promessa dos cartolas feita a ele de que, até o término da temporada, todos receberão o que têm direito.

Atualmente o Vasco deve dois meses de CLT e três de direitos de imagem aos jogadores.

Lançou Talles Magno

Luxa também tem colhido os louros por ter sido o responsável a lançar Talles Magno nos profissionais ainda com 16 anos, em 2019. O jovem atacante, hoje com 17, tornou-se a principal sensação do Vasco e foi eleito o melhor jogador da partida diante do São Paulo.

"Tem de deixar ele jogar. Não adianta definir se é craque ou não. Vão ter jogos em que vai dar o drible e vai perder, aí vou dar uns tapas na orelha dele. Mas é um jogador que está buscando seu espaço. Temos no Brasil essa pressa de fazer do moleque de 17 anos já a salvação da pátria. Ele tem muita coisa a fazer, a aprender ainda, mas está começando bem", declarou Luxa com os pés no chão.

Não nega ser flamenguista

Outra situação que Vanderlei Luxemburgo não faz questão de negar é a de ser torcedor do Flamengo, maior rival do Vasco. O treinador, no entanto, costuma frisar que, atualmente, por conta de seu profissionalismo, tem sido vascaíno.

"Eu tenho que deixar separado isso daí. Eu sou flamenguista. Todo mundo sabe que eu sou flamenguista, mas hoje eu sou vascaíno, hoje estou trabalhando pelo Vasco, recebo do Vasco e tenho a obrigação de me doar e dar o melhor de mim para o Vasco da Gama. Isso é profissionalismo", disse o técnico à Fox Sports - Luxemburgo é sócio do Flamengo e votou na última eleição no atual presidente rubro-negro, Rodolfo Landim.

Contrato até o fim do ano

Vanderlei Luxemburgo chegou ao Vasco em maio e preferiu, inicialmente, assinar um contrato somente até o fim deste ano. Ele adota a filosofia de que clube e treinador precisam avaliar o trabalho ao fim de cada temporada.

"Eu não vim para passar tempo, não. Vou fazer o máximo que eu puder fazer para o Vasco crescer o máximo que puder crescer. O futebol brasileiro não permite ainda o contrato longo. O contrato longo é feito a cada ano", disse em sua apresentação.

Fonte: UOL Esporte