Marcos Teixeira explica procedimentos do Vasco em relação ao Covid-19

07/05/2020 às 14h27 - CLUBE

Em nota oficial publicada na quarta-feira, o Flamengo divulgou que realizou 293 testes da Covid-19 em funcionários, atletas e contactantes entre os dias 30 de abril e 3 de maio. O resultado apontou 38 pessoas infectadas. O Vasco, por sua vez, não submeterá seus colaboradores, jogadores e membros de comissão técnica a exames nos próximos dias. Só o fará quando as autoridades competentes sinalizarem aos clubes a liberação do retorno aos treinamentos.

Em matéria publicada pelo GloboEsporte.com no último dia 3, tanto Governo quanto Prefeitura do Rio de Janeiro afirmaram que não autorizam o retorno dos clubes às atividades em seus respectivos centro de treinamentos.
 

Em contato com a reportagem, o chefe do departamento médico do Vasco, Marcos Teixeira, explicou como será o procedimento do clube em relação aos testes para a detecção do Covid-19.

- O Vasco realizará exames para detecção do novo coronavírus em todos os jogadores, comissão técnica, staffs e todos os indivíduos que moram em suas residências, ou seja, os contactantes domiciliares. Essa medida visa reduzir ao máximo o risco de todos os envolvidos e por isso a data da sua realização é totalmente dependente da previsão de retorno aos treinos.

- Lembrando que o retorno só acontecerá quando as autoridades competentes julgarem seguro e liberarem esta atividade. Quando essas condições forem atingidas, as famílias passarão por um drive-thru em um local amplo a céu aberto com uma equipe treinada e paramentada para coleta dos exames - afirmou Marcos Teixeira.

Questionado sobre exames em atletas que estão fora do Rio de Janeiro - o lateral-direito Pikachu, em Belém, é um exemplo -, Teixeira explicou que estes serão reavaliados após o retorno à cidade.

- Os atletas que por ventura estiverem em outras cidades e utilizarem transporte aéreo para o retorno seguirão este mesmo protocolo e serão reavaliados para reduzir o risco de um resultado falseado pela janela imunológica.

A reavaliação se faz necessária porque o deslocamento desses atletas se dará em um transporte que fundamentalmente aglomera pessoas. Assim, é indispensável que sejam submetidos a novos testes após a chegada dos mesmos ao Rio de Janeiro.

Fonte: Globoesporte.com