Misael explica como foi barrado após assinar com o Vasco

06/01/2020 às 10h35 - FUTEBOL

O ano era 2011. Dentre destaques como Diego Souza, Dedé, Anderson Martins, Alecsandro e Éder Luiz, o Vasco buscara no mercado o atacante Misael, então no Ceará, onde obteve o acesso à Série A em 2009 e foi um dos destaques da campanha que garantiu a permanência do Vozão na elite em 2010. Na época com 23 anos, o atacante chegara por empréstimo até o final daquela temporada, com opção de compra.

Logo no seu primeiro dia em São Januário, após ser apresentado, ele tentou entrar no vestiário, como de praxe, só que foi barrado por um segurança, que não o conhecia. Um constrangido Misael explicou toda situação. Precisou provar que era um novo reforço do clube e não um torcedor querendo tirar fotos com seus ídolos. Atualmente no Manaus FC, onde vai disputar a Série C do Brasileiro, ele relembrou o caso.

"Eu estava entrando no vestiário já. Tinha entrado em São Januário, me dirigi ao vestiário, e o segurança, que era novo e também não me conhecia, me barrou. Tive que falar que era um jogador, que tinha sido contratado e estava chegando pela primeira vez. Depois ficou de boa e rendeu até uma resenha" - Misael, ex-Vasco.

Misael fora anunciado no dia 19 de dezembro de 2010, junto com Eduardo Costa. Mas, ao contrário do volante, que tornou-se peça fundamental no título da Copa do Brasil de 2011, o atacante recebeu poucas oportunidades. Disputou apenas quatro partidas e deixou o time no meio do ano para se transferir ao Sport, onde posteriormente obteve mais um acesso à Série A. Ainda assim ele destaca amadurecimento.

- Até então era o PC Gusmão que estava à frente do clube, ao menos durante o Carioca. Depois chegou o Ricardo Gomes. Mas o elenco do Vasco era muito bom. Eu saí agradecendo eles mesmo com as poucas oportunidades. Eu reconheci que, naquele elenco, não tinha brecha para jogar. Éder Luis, Bernardo, Alecsandro... Todos numa fase espetacular. Era um grupo muito qualificado. Tive poucas oportunidades, mas valiosas, que me deram experiência - contou.

Nove temporadas depois, agora aos 32 anos, Misael foi contratado como reforço do Manaus FC para temporada de 2020. O clube, que tem apenas seis anos de fundação, vai disputar pela primeira vez a Série C do Brasileiro. Além das Copas do Brasil e Verde (se houver) e do Campeonato Amazonense.

Confira os principais tópicos da entrevista na íntegra

Primeira vez no Amazonas

- Quero expressar minha alegria de estar vestindo essa camisa. É claro que a cada nova oportunidade, você tem um desafio a mais na carreira. Como você falou: rodei bastante pelo Brasil e obtive muitas conquistas na carreira. Esse sentimento que trago para cá é de conquistas. Poder dar continuidade ao crescimento do Manaus será algo gratificante.

Conhecimento sobre o elenco

- Conheci o Mateus (Oliveira) no XV (de Piracicaba, no segundo semestre de 2019), chegamos na final da Copinha contra o São Caetano, mas infelizmente ficamos como o vice. Mas é muito importante você conhecer atletas nos seus novos clubes. Subi em 2013 com o Luverdense com o Gilson Alves, volante. Estávamos lá. O Luis Fernando (zagueiro) é da minha cidade. Outros atletas conheço de enfrentamentos na carreira. Isso conta bastante. Nosso grupo é um grupo que parece que todos se conheciam há muito tempo, e isso facilita muito.

O ano marcante de 2011

- Eu saí do Ceará com um acesso. Aí fui para o Vasco da Gama, e quando saí de lá obtive mais um acesso pelo Sport. Graças a Deus tudo isso traz aprendizado e experiência, engradece o currículo jogar numa equipe de expressão, apesar de não ter atuado muito. Ainda assim fui campeão da Copa do Brasil. Estava no gol do acesso do Sport. Foi um ano maravilhoso.

Poucos gols na carreira

- Sempre fui um jogador conhecido por servir muito os atacantes. Na minha carreira eu tenho mais assistências fundamentais do que gols. Os gols que fiz e faço tendem a ser especiais, porque são decisivos, são bons. Isso para mim é maravilhoso. Tive uma fase muito boa na Série C, pelo Luverdense, quando fiz nove gols e fui o destaque do ano. Esse ano eu vou perseguir bastante os gols. A disputa está apertada, então tenho que trabalhar bastante. As coisas vão dar certo e vou dar muita alegria para torcida e retribuir a confiança da comissão técnica.

Fonte: ge