No poder, oposição acabará com homenagens a Romário

22/04/2008 às 21h11 - POLÍTICA

O ex-presidente do MUV (Movimento Unido Vascaíno), Agostinho Taveira, voltou a falar sobre a estátua em homenagem ao ex-atacante Romário, que fica atrás do gol do placar eletrônico em São Januário.

Sócio emérito do Vasco, Agostinho reprova as declarações do Baixinho sobre a torcida que mais o emocionou durante a carreira: "A do Flamengo. A torcida do Flamengo realmente é coisa de outro planeta, com todo o respeito às outras", disse o ex-jogador ao "RJ TV" na última quinta-feira (17/04).

O presidente do Vasco, Eurico Miranda, afirmou na sexta-feira, em entrevista coletiva, que só faria considerações a respeito se Romário fizesse a declaração à sua pessoa.

"A minha nota 0 é para o Romário, que foi dizer na televisão que a torcida do adversário é melhor do que a nossa. E nota 0 maior ainda, é para o presidente interino, que apoiou e não teve aquela atitude de se revoltar contra aquela ação do Romário. Como ele não tem autoridade mesmo... O negócio do Romário com ele não sei qual é, se é pessoal, sexual, financeiro, a gente não sabe. O que sabe é que não se pode admitir um jogador que o Vasco acolheu no final de carreira, deu todo o apoio para fazer aqueles mil gols, que nem sei se são verdadeiros, cria-se uma estátua para ele, o cara vai para a televisão dizer e a Rede Globo ainda repete de noite, repetiu no jornal da noite. É isso que não dá para a gente entender no Vasco. Acho que no mínimo, o presidente interino tinha que ter tomado uma atitude de vascaíno, se revoltar contra aquilo, porque toda a torcida vascaína se revoltou. Agora quero saber como vai ficar aquela estátua, se eles vão continuar venerando ela ou não. É hora de a gente mandar aquilo para o ar", disse ao programa "Só dá Vasco", veiculado na Rádio Bandeirantes.

"A camisa não será, ela está temporariamente suspensa. A Chapa Por Amor ao Vasco tem como uma das suas promessas resgatar a camisa 11 para o elenco principal. Isso está só durante esse mandato interino dos interinos", disse o presidente do MUV, José Henrique Coelho, sobre a aposentadoria da camisa 11.

Após a anulação das eleições de 2006 para o Conselho Deliberativo do Vasco, a Oposição espera que um novo pleito ocorra no final de maio ou início de junho.

Fonte: Vasco Expresso