Futebol

Opinião: "Vasco fica com a bola, mas não chuta, e Cano falha"

4

É impossível analisar a derrota do Vasco por 2 a 0 para o Inter, neste domingo, em São Januário, sem falar da arbitragem. Por conta de uma pane do VAR, o primeiro gol do time gaúcho não foi revisado, o que causou uma tremenda confusão, gerou muita reclamação, e o clube carioca pedirá a anulação da partida.

Mas com polêmica de arbitragem ou não, a situação do Vasco é crítica. Em 17º, na zona de rebaixamento, a duas rodadas do fim, o time está a um ponto do Bahia, primeiro clube fora do Z-4. No entanto, o momento é de queda livre, o time vem de três derrotas, não esboça sinais de reação e pode cair na próxima rodada. E o que se viu em São Januário, mais uma vez, deixou o torcedor vascaíno preocupado.

O time de Luxemburgo até foi mais aguerrido e organizado do que nas derrotas para Flamengo e Fortaleza, teve mais a bola, mas pouco agrediu. E quando teve a chance de empatar, em cobrança de pênalti, viu seu artilheiro German Cano falhar e chutar um ponto para fora.

Gol do Internacional! Moisés levanta na marca do pênalti, e Rodrigo Dourado sobe mais que todo mundo, aos 9' do 1º T

Vamos por partes. O início do Vasco foi muito ruim. Afobado e nervoso, o time não conseguia colocar a bola no chão e trocar passes. Impressionou a quantidade de erros em passes fáceis, de dois metros. Foram 19 erros nos primeiros 20 minutos.

Obviamente o Inter teve mérito nisso. Percebendo o nervosismo do adversário, a equipe de Abel pressionou no ataque, forçou os erros e sufocou. O time gaúcho merecia o gol e conseguiu. O lance, no entanto, gerou polêmica e mudou a história do jogo.

Rodrigo Dourado cabeceou em posição duvidosa, e o VAR, descalibrado, não conseguiu revisar se a posição do volante colorado era legal ou não. O árbitro informou aos jogadores, e manteve a decisão de campo.

Vasco fica com a bola, mas não chuta, e Cano falha

Os números nem sempre traduzem o que foi uma partida, mas às vezes ilustram bem o que aconteceu no jogo. Com a vantagem, o Inter recuou e deu campo ao time de Luxemburgo. Em busca do empate, o Vasco teve mais posse de bola (64%), mas não levou perigo. Foram apenas cinco finalizações contra 12 do Colorado. E nenhuma delas foi na direção do gol.

Nem mesmo a cobrança de pênalti de Cano. Aos 36 minutos do segundo, a arbitragem marcou pênalti após o argentino ser derrubado na área. O próprio cobrou para fora. Foi um balde de água fria nos vascaínos, que viram seu principal jogador chutar um ponto para longe e enterrar qualquer possibilidade de reação.

O Vasco desmoronou, não teve mais forças para reagir e acabou sofrendo o segundo gol em um lance que resume bem o ânimo do time após a cobrança de Cano. Aos 50, Benítez perdeu a bola, Léo Gil e Carlinhos ficaram observando o Inter trocar passes dentro da área, e o ex-vascaíno Thiago Galhardo marcou. O volante argentino simplesmente largou o combate.

O lance gerou revolta de torcedores nas redes sociais e ilustra o momento de desanimo do Vasco no Brasileiro. Mais do que nunca é necessário levantar a cabeça e pontuar contra o Corinthians e Goiás ou a queda para Série B será uma realidade cada vez maior. O rebaixamento pode acontecer já na próxima rodada, caso o Vasco não vença o Corinthians, e o Bahia derrote o Fortaleza.

Fonte: ge
  • Quinta-feira, 25/02/2021 às 21h30
    Vasco Vasco 3
    Goiás Goiás 2
    Campeonato Brasileiro São Januário
  • Quarta-feira, 03/03/2021 às 21h00
    Vasco Vasco
    Portuguesa Portuguesa
    Taça Guanabara São Januário
  • Sábado, 06/03/2021 às 21h00
    Vasco Vasco
    Volta Redonda Volta Redonda
    Taça Guanabara Raulino de Oliveira
  • Sábado, 13/03/2021 às 18h00
    Vasco Vasco
    Nova Iguaçu Nova Iguaçu
    Taça Guanabara A definir
  • 20/03 (Sáb) ou 21/03 (Dom)
    Vasco Vasco
    Botafogo Botafogo
    Taça Guanabara Maracanã
  • 24/03 (Qua) ou 25/03 (Qui)
    Vasco Vasco
    Macaé Macaé
    Taça Guanabara São Januário
  • 27/03 (sáb) ou 28/03 (dom)
    Vasco Vasco
    Madureira Madureira
    Taça Guanabara São Januário