Oposição pedirá prisão de Eurico se documentos não forem entregues

02/04/2008 às 20h25 - POLÍTICA

Diretoria interina não apresenta documentos e mandado de busca e apreensão será cumprido na segunda-feira

Os conselheiros de oposição à diretoria interina do Vasco e autores da ação cuja sentença determinou a apresentação dos documentos referentes aos balanços contábeis de 2005 e 2006 estiveram, nesta quarta-feira (2/4), no clube, acompanhados pela polícia Militar e por um Oficial de Justiça, para cumprir o mandado de busca e apreensão de toda a documentação, expedido pela juíza da 7ª Vara Cível, Márcia Capanema.

Os conselheiros Abílio Borges e José Roberto Gomes da Costa e o Oficial de Justiça foram informados pelo assessor da presidência, Rogério Alves, de que 15 dos 17 principais itens solicitados na ação não estariam disponíveis (contratos de TV, de material esportivo, das placas de publicidade do estádio, de licenciamento, do projeto sócio torcedor, de trabalho e imagem dos atletas e os de confissão de dívida com Romário e com a Rede Globo de Televisão). Por isso, o cumprimento do mandado foi adiado para a próxima segunda-feira (7/4).

Caso haja nova tentativa de descumprimento do mandado, os conselheiros de oposição entrarão com requerimento pedindo a prisão do presidente interino do clube.

O conselheiro e diretor jurídico do Movimento Unido Vascaíno (MUV), Luiz Américo Chaves, foi impedido de entrar no clube por Rogério Alves, sob a alegação de estar suspenso do quadro social. Alegação esta que não é verdadeira. O cumprimento do mandado, marcado para as 14h, só foi iniciado às 16h30, por conta do atraso na liberação da sala, no fórum, onde os documentos ficarão guardados.

O MUV lamenta que a história do Vasco seja manchada pelo contínuo desrespeito ao poder judiciário e suas decisões, pela conduta da diretoria interina do clube.

Fonte: Assessoria de Imprensa do MUV