Organizadas: Orkut vira palco de confronto entre Vasco e Flamengo

21/11/2007 às 14h55 - TORCIDA

A morte do torcedor rubro-negro Germano Soares da Silva, na madrugada desta terça-feira, pode ser o estopim para mais confrontos violentos entre torcidas organizadas no Rio de Janeiro. Germano, de 44 anos, era integrante da Torcida Jovem Fla e foi agredido a socos e pontapés durante uma briga, na última sexta-feira, com integrantes da Força Jovem Vasco. Em comunidades no site de relacionamentos Orkut, torcedores mandaram mensagens de luto e ameaças prometendo vingar a morte de Germano. Novo confronto estaria marcado para a partida de basquete entre Flamengo e Vasco às 20h desta quarta, no Maracanãzinho.

A pancadaria começou quando as torcidas se encontraram na Praça Quinze, a caminho de uma partida de basquete no Ginásio Caio Martins, em Niterói. O confronto está sendo investigado pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente, porque havia menores entre os envolvidos. No dia, 52 integrantes da Força Jovem foram detidos após a briga no Centro e foram liberados. Oito deles são menores e um tem passagem pela polícia.

Na comunidade da torcida organizada vascaína no Orkut, um internauta alerta aos torcedores que vão ao jogo no Maracanãzinho para o perigo de uma revanche por parte dos rubro-negros. A torcida também convoca para uma concentração às 17h em São Januário como preparação para o jogo.

Outro torcedor alerta os rubro-negros que os vascaínos desta vez estarão ainda em maior número, \"não dando chance ao rival de ir nem para o hospital\".

\"Estou esperando. Não vão correr igual no último jogo. Quero pegar uns dez dessa vez\", ameaça o vascaíno de nick Justiceiro.

Torcedores vascaínos e de outras torcidas, como a paulista Mancha Alvi-Verde, do Palmeiras, criaram ainda uma comunidade para \"celebrar\" o falecimento do rival rubro-negro.

No lado do Flamengo, as mensagens de luto e revolta deram o tom na comunidade da organizada Jovem Fla. Muitos postaram tópicos de revanche, prometendo que a morte do torcedor, que fazia parte da diretoria da organizada, não passará em vão.

\"Não vai passar batido, pode ter certeza. Hoje muitos riem, mas amanhã vão chorar. Pode demorar um, dois, ou três anos, mas vão chorar. Não será usada a emoção, estamos de cabeça quente, não tem como pensar. Vamos agir com inteligência. Tudo será planejado e bem executado, não sei quando mas vai ser sangrento. O cara que bateu com o cone já sabemos de onde é\", escreveu um internauta com o nick Jovem Fla, lembrando que Germano foi agredido também com um cone de trânsito.

O major Marcelo Pessoa, do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (GEPE), disse que o policiamente será reforçado no Maracanãzinho e arredores. Serão 300 policiais dentro do ginásio e em torno dele.

Fonte: Globo Online