Outros clubes tentaram patrocínio com a Havan, que preferiu o Vasco

24/12/2019 às 13h39 - FUTEBOL

A novela chegou ao fim. Conforme informou em primeira mão o DIÁRIO DO RIO no último dia 28/11, o Vasco será patrocinado pela loja de departamentos Havan em 2020. O anúncio oficial ocorreu no início da tarde desta terça-feira (25/12), através de um vídeo publicado por Luciano Hang, dono da empresa, em seu perfil no Twitter.

A torcida pediu e nós ouvimos. Está confirmado, Havan e Vasco juntos em 2020. Patrocinar é acreditar. Entre equipes, atletas paraolímpicos e instituições de esporte, a Havan tem mais de 50 patrocínios. Quem aí ficou feliz com a notícia comenta vasco kkkk #VascoDaGama

Conforme também adiantou com exclusividade o DIÁRIO DO RIO após a reunião presencial realizada entre as partes no dia 10/12, o patrocínio é para exibição do logotipo da empresa nas mangas da camisa e nas placas de campo. O Vasco até propôs expandir a parceria para os calções e costas do uniforme, mas, ao menos inicialmente, não será possível.

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

As conversas preliminares entre Vasco e Havan começaram em fevereiro deste ano e foram, desde o início, intermediadas pelo empresário Flávio Moreno, que possui boa relação com ambas as partes.

”Fico muito feliz de fazer parte dessa ‘união’ entre duas grandes empresas do Brasil. Quando eu soube que o Luciano (Hang) queria investir mais forte no futebol, com um grande clube carregando sua marca, pensei logo no Vasco, até por saber da necessidade do clube em angariar mais receitas. Era juntar o ‘útil ao agradável’. Agradeço muito ao Bruno Maia (ex-vice presidente de Marketing do Vasco) e ao Alexandre Faria (ex-diretor executivo de futebol), que foram quem me abriram as portas para dialogar em prol dessa parceria. Depois que eles saíram, dei continuidade com o presidente Alexandre Campello”, diz Flávio.

Ainda de acordo com o empresário, houve procura de outros clubes, mas a paixão e a participação dos torcedores cruzmaltinos, aprovando a parceria, foi fundamental para o negócio ir adiante.

”Depois que eu vi a torcida em massa apoiando, eu falei para o Luciano: ‘Agora é a hora’. Daí, mobilizei para agendarmos a reunião e seguimos com as conversas. Fui procurado por outros clubes, como Fluminense, Botafogo e Goiás, mas por frequentar São Januário e ver a paixão da torcida, era o Vasco que eu queria”, finaliza Moreno.

Fonte: Diário do Rio