Paciência é a arma de Roberto Dinamite para não perder Leandro Amaral

22/12/2008 às 09h32 - CLUBE

Com a proposta para renovação de contrato do Vasco em mãos há uma semana, Leandro Amaral viajou de férias com a família e não deu mais sinal de vida. O atacante, que tem propostas também de Cruzeiro e Fluminense para a próxima temporada, está incomunicável e o mistério tomou conta do futuro do jogador. Entre ligações na caixa postal e notícias de um futuro longe de São Januário, o presidente Roberto Dinamite, no entanto, não perde a confiança e adota a paciência como tática para persuadir o atacante.

- Esse é o momento que as pessoas têm para dar uma desligada de tudo. O Leandro deve estar com a família. A gente não tem que criar uma situação para resolver isso imediatamente. Vamos fazer o possível para chegar a um acordo. Ele deve ter outras propostas. Já demonstramos o interesse. Se amanhã ele assinar com outro, não será por não ter sido procurado.

O técnico Dorival Júnior, que já declarou considerar Leandro Amaral imprescindível, se mostra mais um pouco precavido e admite que o clube trabalha também em outras frentes.

- Nos últimos dias ele não tem atendido telefonemas, até por ter outras propostas. Ele sabe o que é melhor para ele. O Vasco também está atrás de outros nomes, e pode acontecer o que de o Vasco fazer outra opção na posição – disse em entrevista à Rádio Bandeirantes.

Depois de defender o Fluminense no início da temporada e travar uma briga judicial com o clube da Colina, Leandro Amaral fez parte do elenco do Vasco que caiu para a Segunda Divisão e tem o contrato encerrado no próximo dia 31 de dezembro.

Fonte: GloboEsporte.com