Reunião do Arbitral da FERJ será retomada nesta terça (16)

16/06/2020 às 08h17 - FUTEBOL

A reunião do conselho arbitral dos clubes da Série A do Carioca foi longa e encaminhou a sugestão para que Flamengo x Bangu seja nesta quinta-feira, mas o encontro foi interrompido diante da falta de acordo com Fluminense. A reunião não foi decretada como encerrada e será retomada às 20h desta terça.

A confirmação da sugestão da volta do estadual está pendente da autorização da prefeitura do Rio, o que deve ocorrer na quarta-feira. Assim, os clubes entrariam em campo no primeiro dia disponível pós-aval. Ainda pelo cenário definido, o Vasco enfrentaria o Macaé no domingo.

- Definida a retomada do futebol, na forma da lei e com todos os protocolos de segurança, de portões fechados - publicou no Twitter o vice-presidente do Flamengo, Rodrigo Dunshee de Abranches.

O arbitral abriu os trabalhos pouco depois das 17h desta segunda-feira. Uma interrupção de aproximadamente 1h aconteceu pouco antes das 22h, e a discussão entre os dirigentes varou a madrugada, até as 1h30 desta terça.

Flamengo e Bangu se disseram em condições de entrar em campo o mais breve possível. Ao longo do encontro, o presidente do Fluminense, Mário Bittencourt, afirmou reiteradamente que desejaria mais tempo para treinar, apoiando que os jogos voltassem em julho. O Botafogo também é contra a retomada do futebol agora.

O tricolor realizará nesta terça a primeira bateria de testes nos jogadores e na comissão técnica. Os trabalhos do Flu vem sendo realizados remotamente, enquanto Flamengo está prestes a completar um mês em ação nos campos do Ninho do Urubu. Os outros clubes, inclusive, se ressentem com o Fluminense por ter se recusado a voltar às atividades no mesmo período que os adversários.

Pelo modelo de tabela desenhado, o Fluminense faria seu primeiro jogo no dia 22, contra o Volta Redonda. No mesmo dia, o Botafogo encararia a Cabofriense. A segunda partida pendente do tricolor ocorreria, pela proposta de tabela, no dia 24. A suspensão do arbitral para reinício nesta terça é para tentar uma acordo entre as partes. O Flu só quer jogar a partir do dia 29 e enxerga ter uma causa justa para até recorrer à Justiça Desportiva. Até prevendo esse tipo de embate o presidente do Tribunal de Justiça Desportiva do Rio (TJD-RJ), Marcelo Jucá, participou do arbitral.

Não é absurdo, diante disso, imaginar a possibilidade de um W.O nas rodadas restantes da Taça Rio. Mas na Ferj há a preocupação dessa mancha na reta final do estadual. Houve uma proposta imediata ao Flu de se jogar nos dias 25 e 28. Isso será debatido na parte 2 do encontro.

Tabela sugerida

Quinta - Flamengo x Bangu
Sexta - Portuguesa x Boavista
Domingo - Vasco x Macaé / Madureira x Resende
Segunda - Fluminense x Volta Redonda x Botafogo x Cabofriense

Debate

Os clubes pequenos aceleram a mobilização pelos jogos porque não querem que julho chegue e, com isso, tenham que pagar mais uma folha salarial aos jogadores.

Apesar da falta de consenso, as discussões foram consideradas "leais" por quem participou, sem baixaria entre os dirigentes. O clima é tenso entre as partes há semanas, a ponto de Mário Bittencourt deixar o grupo de Whatsapp no qual os cartolas debatem a volta do estadual.

Em relação ao provável jogo de reinauguração do Carioca, o Bangu mantém seus jogadores concentrados em um hotel na Zona Oeste do Rio. O Flamengo diz manter o grupo em monitoramento e em condições de higienização devidas. A testagem é feita semanalmente.

Pelo protocolo, todos os profissionais envolvidos nas partidas deverão ser testados antes. Quem não apresentar contaminação, seguirá para o isolamento até o início do jogo.

Outras definições

No arbitral, os clubes também aprovaram que o número de substituições por partida será de até cinco, com três interrupções no jogo, sem contar o intervalo.

No que diz respeito às inscrições, um jogador que já tenha atuado por um determinado time na edição atual poderá ser registrado por outro e entrar em campo.

A Ferj também conseguiu que fosse ampliado o limite de jogadores com contrato amador por partida. O teto anterior era quatro e foi ampliado para 12. Assim, abre-se o caminho para uso dos jogadores da base.

Fonte: Agência O Globo