Sobreviventes de incêndio do ninho avisam que não farão teste no Vasco

01/02/2020 às 17h37 - CATEGORIAS DE BASE

Os cinco jogadores que estavam no dia do incêndio no Ninho do Urubu, sobreviveram à tragédia e foram dispensados pelo Flamengo avisaram o Vasco que não aceitaram o convite para fazer teste em São Januário. Todos agradeceram à iniciativa cruz-maltina, porém, disseram ter outros planos para o futuro.

Um deles, aliás, tem negociação acertada com o RB Brasil, clube com o qual deve assinar contrato por três anos. Trata-se do meia Felipe Cardoso. Além dele, Wendel Alves (atacante), João Victor Gasparin (lateral-direito), Naydjel Callebe (zagueiro), Caike Duarte Pereira da Silva (meia) não tiveram o contrato de formação renovado com o Rubro-Negro. A decisão foi comunicada a eles entre 7 e 9 de janeiro. No dia 17 do mesmo mês, o Vasco os procurou.

O GloboEsporte.com, à época, entrevistou Witor Bastos, coordenador de captação vascaíno, que explicou os motivos do convite. Segundo ele, além da questão técnica, o caráter social de dar outra oportunidade a quem sofreu um trauma foi levado em conta.

Do quinteto, apenas um havia acenado com a possibilidade de aceitar o chamado do Vasco. Entretanto, a conversa não avançou.

A tragédia que deixou 10 meninos mortos no Ninho do Urubu completa um ano no próximo dia 8 de fevereiro.

Quem são os meninos dispensados pelo Flamengo e convidados pelo Vasco

Felipe Cardoso, meia de 16 anos, chegou ao Flamengo no início de 2019, após início no Santos. No dia da tragédia, ele conseguiu se salvar e ainda ajudou outros companheiros a fugir.

Wendel Alves, atacante de 15 anos. Assim como Felipe, chegou ao Flamengo dias antes do incêndio. Na ocasião, ele quebrou uma janela para ajudar os companheiros a fugir das chamas.

João Victor Gasparin, lateral-direito de 15 anos, chegou ao clube com 13 anos e passou a dormir no Ninho quando completou 14. No dia do incêndio, contou aos pais que, inicialmente, achou que o alerta dos amigos era uma brincadeira, mas conseguiu escapar em tempo.

Naydjel Calleb, zagueiro de 15 anos. Foi um dos últimos a conseguir escapar antes de o fogo tomar conta do alojamento.

Caike Duarte Pereira da Silva, meio-campista de 14 anos, conhecido como Paquetá, pela semelhança física com o ex-meia rubro-negro.

Fonte: GloboEsporte.com