Sorato sobre Calçada: 'É irreparável essa perda'

06/08/2019 às 13h37 - FUTEBOL

A manhã de terça-feira foi de despedida em São Januário. Cercado por amigos, familiares e ex-jogadores do Vasco, o ex-presidente do clube Antônio Soares Calçada passou suas últimas horas no estádio. O corpo do dirigente mais vitorioso da história do Cruz-Maltino foi levado para o cemitério São João Batista depois de ser velado na Colina.

Os ídolos Roberto Dinamite, Sorato e Mauro Galvão marcaram presença no velório e na missa em São Januário. Além deles, amigos, familiares e pessoas do convívio no Vasco acompanharam as últimas horas de Calçada no estádio. O conselheiro Julio Brant, que recebeu o apoio do ex-presidente na última eleição, esteve na cerimônia.

- Desde quando cheguei ao Vasco, ele é o presidente. Cheguei ao Vasco em 1985, a partir daí ele esteve na presidência nos principais títulos. É o presidente mais vencedor da história do clube, uma pessoa que colocou o clube em outro patamar. É uma perda realmente complicada, porque por mais de não estar tão atuante nos últimos anos, tinha uma força dele. Quando queriam uma direção, procuravam ele. É irreparável essa perda. Uma pena. Esperamos que Deus possa confortar o coração da família - disse Sorato.

Mauro Galvão relembrou as vezes em que encontrou Calçada por acaso no voo que costumava pegar do Rio de Janeiro para Porto Alegre, onde nasceu.

- A importância era fundamental. O Calçada foi um presidente que procurou sempre unir todos os grupos. Sempre foi um presidente muito atuante neste sentido. Tinha livre acesso em todos os lugares. Soube sempre como se posicionar e conduzir bem quando foi presidente. Tive algumas histórias com o Calçada. Volta e meia ele ia para Porto Alegre e viajávamos juntos neste voo para Porto Alegre. Várias vezes nos encontramos e era sempre muito bom. Uma pessoa muito agradável.

Roberto Dinamite, que também passou pela presidência do Vasco, também destacou o poder de união que Calçada tinha.

- Era uma pessoa muito especial. Sempre foi um cara que buscou o diálogo, aproximou todo mundo. Por isso, é o maior vencedor, porque ajudou o clube com conquistas, mas acima de tudo a maior conquista foi essa. Todo mundo respeitava. Fica aí o meu pesar da perda, mas ele cumpriu uma etapa muito bonita aqui na terra - disse Dinamite.

Calçada morreu aos 96 anos, nesta segunda-feira, por complicações de uma infecção abdominal. Ele estava internado desde o dia 10 de julho. O ex-presidente comandou o Vasco de 1983 a 2000.

Campeonato Brasileiro: 1989, 1997 e 2000

Campeonato Carioca: 1987, 1988, 1992, 1993, 1994 e 1998

Fonte: GloboEsporte.com