Tiago Reis é destaque no site da CBF

26/04/2019 às 08h42 - FUTEBOL

Há muitos jogadores talentosos que ainda não disputaram uma partida do Campeonato Brasileiro. Fique de olho em alguma das principais promessas do nosso futebol

O Brasil é um celeiro de craques. Por mais clichê que a frase possa parecer, o futebol brasileiro não cansa de revelar grandes jogadores. O Brasileirão, por sua vez, é um dos primeiros palcos para os jovens desfilarem seu futebol. Só nos últimos anos, alguns jogadores debutaram com muito brilho no Brasileirão.

Em 2017, por exemplo, Paulinho marcou duas vezes na vitória do Vasco da Gama sobre o Atlético-MG fora de casa. No mesmo ano, Vinicius Junior foi às redes contra o Atlético-GO. Hoje na Seleção Brasileira, o atacante David Neres marcou os primeiros gols de sua carreira pelo São Paulo, no Brasileirão de 2016. Mas quem são os candidatos a calouros desta edição do Campeonato Brasileiro? Quem são os jovens que fazer sua primeira partida no campeonato mais disputado do mundo? Separamos uma lista para você ficar de olho durante o ano:

Reinier (Flamengo)

Camisa 10 da Seleção Brasileira no último Sul-Americano Sub-17, Reinier é tratado como uma das maiores promessas das divisões de base do Flamengo. O meia ainda não estreou pelos profissionais do Fla, mas é cercado de expectativas pela torcida. Agudo e com boa finalização, foi o principal nome do time na conquista da Copa do Brasil Sub-17, no ano passado, e é o único jogador com menos de 18 anos inscrito pelo clube na Libertadores.

Tiago Reis (Vasco da Gama)

“Deixa o menino brincar”, costuma cantar a torcida do Vasco quando Tiago Reis está em campo. Destaque do time no vice-campeonato da Copa São Paulo de Futebol Júnior, o atacante passou a ganhar oportunidades durante o Estadual. Com uma boa média de gols, conquistou o coração dos vascaínos e chegou a ser titular durante a campanha no Carioca. Sua estreia no Brasileirão pode acontecer logo na primeira rodada, contra o Athletico-PR, fora de casa.

João Pedro (Fluminense)

Maior nome de sua geração no Fluminense, o meia-atacante João Pedro já começa a dar seus primeiros passos no futebol profissional. Durante o Campeonato Carioca, teve a oportunidade de estrear pelo clube, e não deixou barato. Contra o Flamengo, pela Taça Rio, o Flu perdia por 3 a 0 quando Diniz chamou o jovem ao jogo. JP botou fogo na partida, ajudou o time a diminuir a vantagem e marcou o seu primeiro gol no profissional. O Fluminense acabou perdendo a partida, mas foi um bom sinal do que João Pedro pode fazer no futuro e de que ele não se acanha em jogos grandes.

Gabriel Verón (Palmeiras)

O nome é de craque argentino, mas o futebol é 100% brasileiro. Gabriel Verón é mais um fruto da Academia de Futebol do Palmeiras. O atacante foi um dos principais jogadores da Seleção Brasileira durante o Sul-Americano Sub-17, no Peru, e pode ser uma das surpresas do Verdão durante o Campeonato Brasileiro. Tem um futebol agudo, de drible e infiltração. Nascido em setembro de 2002, Gabriel Verón nem viu o seu homônimo, Juan Sebástian, cair na primeira fase com a Argentina na Copa do Mundo da Coreia e do Japão.

Douglas Borel (Bahia)

Natural de Camaçari, o lateral Douglas ainda dá os primeiros passos como profissional do Bahia. Com 17 anos recém completados, o defensor fez sua estreia no último Estadual e largou com o pé direito. Na goleada por 7 a 1 sobre o Juazeirense, entrou no segundo tempo e deu a assistência para o gol que completou o triunfo do Esquadrão. Também conhecido como Douglas Torres, o jovem ganhou o apelido pela semelhança física com o cantor Nego do Borel.

Victor Bobsin (Grêmio)

Volante de muita qualidade técnica, Victor Bobsin segue os passos de Arthur para brilhar pelo Grêmio. Cria das categorias de base do Tricolor, o jogador foi presença constante nas Seleções de base. Foi campeão Sul-Americano com a Sub-17, em 2017, e ainda participou da campanha do Brasil que foi terceiro lugar no Mundial da categoria, no mesmo ano.

Peglow (Internacional)

Outro nome da Seleção Sub-17, João Peglow tem gerado muita expectativa na torcida do Internacional. Camisa nove, não é daqueles centroavantes que jogam fixos, esperando a bola. Durante o jogo, se movimenta muito e procura participar da criação ofensiva. Alçado recentemente ao time sub-20 do Inter, Peglow pode ser aproveitado no profissional ainda esse ano. E se depender de Odair Hellmann, oportunidade para a base não vai faltar. Neste ano, jogadores como Nonato, Pedro Lucas e Sarrafiore já ganharam chances no Inter.

Lucas Halter (Athlético-PR)

Um dos principais jogadores das categorias de base do Athletico-PR, o zagueiro Lucas Halter deve ganhar espaço ao longo do Brasileirão. Do alto de seus 18 anos de idade, o defensor foi introduzido ao time que disputou o Campeonato Paranaense. O Furacão disputa o Estadual com uma equipe alternativa, que deu mais tempo de jogo a Halter. E ele correspondeu. Foi peça-chave na conquista e chegou até mesmo a marcar um belo gol. O zagueiro fez parte da Seleção Brasileira que conquistou o Sul-Americano Sub-17 em 2017.

Fabricio Oya (Corinthians)

Figura carimbada no Terrão, o meia Fabrício Oya vive a expectativa de sua estreia no Brasileirão. O jovem do Corinthians fez sua primeira partida como profissional durante o Campeonato Paulista desse ano, depois de integrar o grupo que disputou a copa são Paulo de Futebol Júnior. A Copinha, aliás, é uma especialidade do meia. Oya passou a fazer parte do time de juniores tão cedo que foi campeão e vice-campeão do torneio com o Corinthians. Dono de futebol refinado e franzino, Oya é um camisa 10 com boa finalização e precisão nos passes. É uma típica cria do Terrão e a torcida do Corinthians, que tem tanto apreço pelos jovens de suas categorias de base.

Neto (Atlético-MG)

Outra revelação que participou do Sul-Americano Sub-17 com a Seleção Brasileira, o volante Neto é uma das esperanças da torcida do Atlético-MG para o futuro. O baiano tem um desempenho físico impressionante, trazendo intensidade e técnica para o jogo de transição do Galo. O meia estreou pelo profissional durante o Campeonato Mineiro deste ano e, muito provavelmente, será aproveitado pelo Galo ao longo do Brasileirão 2019.

Fonte: CBF