Vasco faz planejamento para evitar administração rubro-negra no Maracanã

11/04/2019 às 18h04 - CLUBE

Foi dado início ao movimento arquitetado pelo Vasco para que uma pilha de ações sejam abertas no Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) com o objetivo de evitar que Flamengo, principalmente, e o Fluminense assumam a gestão Maracanã pelos próximos 180 dias.

O primeiro processo, informado inicialmente pelo "LANCE!", foi aberto pelo conselheiro Luis Manuel Fernandes, que coloca como réus o governador Wilson Witzel, o secretário estadual de Esporte, Felipe Bornier, além do próprio Estado do Rio. O objetivo principal é a busca de uma liminar que invalide o edital de chamamento público e também seus efeitos - no caso, a assinatura do contrato, que será nesta sexta-feira, no Palácio Guanabara.

Segundo informou o TJ, a juíza da 13ª Vara da Fazenda Pública deu um prazo de 72 horas para que as partes se manifestem no processo antes de decidir se concederá a liminar ou não.

Segundo o GLOBO apurou, há um acordo nos bastidores do Vasco para que mais Ações Populares sejam impetradas. Ao mesmo tempo, há um acordo de cavalheiros entre figuras da situação e da oposição para que ninguém ganhe capital político com os processos. O próprio Vasco planeja entrar com uma ação - um mandado de garantia ou ação anulatória.

Na petição inicial do primeiro processo, há a acusação de que o procedimento foi direcionado pelo governo do Rio para que Flamengo e Fluminense, mesmo sem condições para tal, fossem os permissionários da gestão do Maracanã.

O Flamengo está ciente da movimentação, mas entende que a responsabilidade é da Procuradoria-Geral do Estado.

Fonte: Globo.com