Vasco já cogita receber parcelado dinheiro da iminente venda de Marrony

10/06/2020 às 08h16 - FUTEBOL

A negociação entre Vasco e Atlético-MG virou uma verdadeira novela. No entanto, o capítulo final deve acontecer nesta quarta-feira. Para fechar o acordo, o Cruz-Maltino já cogita vender de forma parcelada, desde que receba imediatamente R$ 17 milhões. O clube trabalha com esse valor mínimo para resolver os problemas à curto prazo. A indefinição sobre quem paga os juros ao Banco BMG influenciou nesta mudança de postura dos clubes.

O Atlético-MG está disposto a ceder. O restante do pagamento aconteceria em dezembro e em junho do ano que vem. A proposta do Galo é de 3,8 milhões de euros (cerca de R$ 21 milhões) para adquirir 70% dos direitos econômicos do jogador (30% pertencem ao Volta Redonda).

Um forte indício de que a venda está próxima de ser sacramentada é a dívida que o Vasco contraiu recentemente. Temendo perder Marrony na Justiça, a diretoria quitou todos os atrasados com o atacante (quatro meses em CLT e nove de direitos de imagem). A informação foi divulgada inicialmente pelo “Globoesporte” e confirmada pelo Esporte News Mundo.

O ENM apurou que o pagamento ao jogador foi feito através de um empréstimo concedido por vascaínos ligados a política do Vasco. O dinheiro foi concedido com a promessa de que seria devolvido assim que a negociação com o Atlético-MG fosse finalizada.

Outro fator determinante é a vontade do próprio Marrony pela transferência. O Galo propôs ao atacante um contrato de cinco anos, com um salário aproximado de R$ 250 mil, superior aos vencimentos pago pelo Vasco. Alguns membros da diretoria são contrários a negociação, mas já estão conformados em perder o jogador.

O fator predominante para isso é o impacto positivo que a negociação está tendo no clube. A venda de Marrony representa dinheiro nos bolsos dos jogadores e funcionários, que sofrem com os salários atrasados. Na segunda-feira, o Vasco quitou janeiro (CLT) e um mês de direitos de imagem.

Fonte: Esporte News Mundo