Vasco não deve ser impactado com imbróglio entre rival e Globo

06/01/2020 às 08h18 - FUTEBOL

Os clubes e a Ferj terão um prejuízo de R$ 18 milhões se o Flamengo de fato não fechar contrato com a Globo pelo Estadual do Rio. Pelo que apurou o blog, os 12 times médios e pequenos serão os mais prejudicados na redistribuição do dinheiro. Botafogo, Vasco e Fluminense tendem a ser preservados da perda e manterão suas cotas.

O contrato do Estadual foi assinado pelos três grandes clubes e pela federação do Rio até 2024. O Flamengo só aceitou um contrato em separado fechado por três temporadas e que se encerrou em 2014. A renovação do clube rubro-negro com a Globo está emperrada e, no atual cenário, parece improvável já que as duas propostas estão distante.

Se esse quadro se confirmar, a ausência do Flamengo provoca um desconto no contrato do Carioca de uma cota de um grande que está em R$ 18 milhões, valor após os reajustes por inflação. Ou seja, a Globo deixaria de pagar o valor de R$ 18 milhões para o clube rubro-negro, e outros R$ 18 milhões do acordo com a Ferj. Esse desconto está previsto se qualquer dos quatro clubes grandes não assinar.

Originalmente, o acordo do Carioca integral foi de R$ R$ 120 milhões – incluindo o Flamengo – com reajuste de 20% pela inflação durante os anos. O blog apurou que já existe uma previsão de como será redistribuído o dinheiro sem o Flamengo. Isso foi decidido pelos clubes e pela Ferj e incluído em previsão contratual. A Globo não tem relação com a divisão do dinheiro.

Pelo acordo, Vasco, Fluminense e Botafogo teriam suas cotas preservadas e quem sofreria cortes seriam os outros 12 times. Atualmente, as equipes recebem valores entre R$ 2,6 milhões e R$ 6,5 milhões cada pelas cotas praticadas no ano passado. Esses valores, por exemplo, são bem superiores às cotas de times grandes de estados do Nordeste ou do Paraná.

Não dá para saber quanto cada um dos times vai perder. Mas é certo que haverá um impacto nos orçamentos das equipes de menor investimento do Estado já que o contrato de TV é sua principal fonte de renda.

Fonte: Blog do Rodrigo Mattos - UOL Esportes