Vasco se aproxima de meta de "vaquinha" e finaliza trâmites para iniciar CT

05/09/2019 às 08h09 - CLUBE

A 'vaquinha' online criada pelo Vasco para viabilizar fundos visando a construção de seu centro de treinamento está bem próxima de atingir a primeira meta, estipulada em R$ 2 milhões. A arrecadação já está em cerca de 90%, e o clube agora corre junto à Prefeitura do Rio de Janeiro para finalizar os trâmites burocráticos e dar o pontapé inicial nas obras no terreno na Barra da Tijuca (RJ).

Faltam ainda duas pendências para que o Cruz-Maltino comece a colocar o projeto em andamento: o primeiro se refere ao cadastramento e realocação das famílias que, atualmente, habitam em condições precárias em barracos situados num trecho do local. A segunda no que tange à licença ambiental que se faz necessária para a construção.

O UOL Esporte ouviu pessoas ligadas ao Vasco e à Prefeitura, e os dois lados garantem que cerca de 80% das famílias já foram cadastradas. A tendência é a de que até o início da semana que vem esta etapa seja concluída. Em seguida, essas pessoas serão remanejadas, muito provavelmente, para dentro da comunidade Cidade de Deus, que é vizinha ao terreno, e receberão um Auxílio Habitacional Temporário, mais conhecido como Aluguel Social.

Já em relação ao licenciamento ambiental, a expectativa do clube é de que se obtenha isto na segunda quinzena de setembro.

Uma vez concluídas as duas questões e já com a verba de R$ 2 milhões arrecadada, o Vasco iniciará a primeira etapa da obra, que prevê, segundo apresentação no evento realizado para divulgar o projeto, uma terraplanagem e serviços técnicos. Também é possível que parte dos muros para cercar o local comecem a ser construídos.

Após encerrar essa fase inicial, ainda terão mais três pela frente para colocar de pé dois campos de medidas oficiais e uma estrutura provisória de instalações, algo previsto para ficar pronto e entregue ao elenco profissional já no primeiro semestre de 2020, muito provavelmente antes do início do Campeonato Brasileiro.

Ação da PM não atrapalha planos do Vasco

Na última terça-feira (3), uma ação da Polícia Militar - com intervenção de um "caveirão" (blindado) do Bope - resultou na destruição de alguns dos barracos das famílias situadas no terreno do futuro Centro de Treinamento do Vasco. O clube, no entanto, garante que o incidente não irá interferir no planejamento do projeto.

Vale ressaltar, porém, que por ser próximo à Cidade de Deus, o CT terá de conviver com estas ações policiais e possíveis conflitos, como já acontece no Centro de Treinamento do Fluminense, que é vizinho ao terreno cruz-maltino e que já teve alguns treinamentos cancelados por questões de segurança.

Com expertise na vizinhança com a comunidade Barreira do Vasco, em São Januário, o clube, todavia, pretende implementar projetos sociais na região de seu futuro patrimônio.

O Vasco estipulou a primeira etapa do CT em quatro fases. Ao concluir elas, o clube promete entregar ao futebol profissional dois campos de medidas oficiais e uma infraestrutura para atender as demandas do departamento.

Confira:

1ª - terraplanagens e serviços técnicos: R$ 2 milhões

2ª - campo 1 e muros: R$ 1,5 milhão

3ª - campo 2 e adjacências: R$ 1,5 milhão

4ª - edificações do futebol profissional: R$ 1 milhão.

Projeto total tem sete campos

O Vasco foca toda a sua campanha para concretizar a etapa inicial (descrita acima) no primeiro semestre de 2020, porém, o projeto total prevê ainda mais quatro campos oficiais, um mini estádio de 2 mil pessoas para receber jogos da base, estacionamento e uma prédio para atender toda a estrutura do futebol profissional.

As honrarias aos contribuintes

A 'vaquinha' online segue recebendo doações e o Vasco estipulou recompensas aos doadores de acordo com os valores dos depósitos. Abaixo há um detalhamento de cada presente prometido pelo clube:

R$ 15: certificado digital e agradecimento no site

R$ 50: as duas de cima e mais desconto de dois meses no plano Caldeirão semestral ou equivalente

R$ 200: as três de cima e mais o nome no mapa do CT

R$ 500: as quatro de cima e mais uma moeda especial

R$ 1 mil: as cinco de cima e mais um tijolo com nome no espaço externo

R$ 5 mil: as mesmas dadas aos doadores de R$ 500 e mais um nome no hall principal do espaço interno

R$ 50 mil: nome no painel de azulejo e título de benfeitor remido do clube

R$ 5 milhões: jogo dedicado para homenagear o doador; título de benfeitor remido do clube.
 

Fonte: UOL