Vasco tenta ajustar a casa após pausa por conta do coronavírus

21/03/2020 às 08h32 - FUTEBOL

Apenas 40% de aproveitamento, com uma eliminação precoce na Taça Guanabara, praticamente eliminado da Taça Rio e na berlinda na Copa do Brasil. Soma-se salários atrasados e protesto dos jogadores. O cenário do Vasco até aqui, antes da epidemia de coronavírus, é bastante preocupante. Com a pausa forçada no calendário, o clube agora tenta juntar os cacos e arrumar a casa para um retorno ainda sem prazo do futebol brasileiro.

A primeira grande mudança foi no comando técnico. O presidente do clube, Alexandre Campello, se reuniu com o treinador Abel Braga na última segunda-feira (16) e as partes chegaram a um consenso para o desligamento do comandante.

Também no departamento de futebol, assumiu a vice-presidência José Luiz Moreira, que já havia ocupado o cargo em gestões de Eurico Miranda. O experiente cartola se debruça na escolha do novo técnico, mas, por conta da paralisação, faz a análise com cautela.

Diversos nomes estão sobre a mesa, alguns oferecidos — como Milton Mendes, Jair Ventura e o português José Morais — e outros que têm boa avaliação da diretoria, casos de Thiago Larghi, Eduardo Barroca, Ricardo Gomes e Zé Ricardo.

"Mantemos conversas diárias com o presidente e com as pessoas envolvidas. É um momento de calma, precisamos avaliar um perfil que atenda o Vasco, entenda o tamanho do Vasco, a importância de estar aqui e a responsabilidade, independente dos problemas. Alguém que possa trazer algo que não tivemos. Temos conversado, pensamos em um perfil. Tem esse entendimento de alguém que traga conteúdo e torne o Vasco em uma equipe vencedora. Alguém que entregue algo que a gente ainda não conseguiu. Um jogo bem jogado, uma equipe consciente", disse o diretor-executivo André Mazzuco à Vasco TV. 

Além do novo treinador, Mazzuco também busca reforços para a equipe. "Temos necessidades, independente dos problemas do clube. Buscamos mapear, monitorar e precisamos reforçar a equipe. Isso é fato. Não é só a mudança de comando que vai trazer algo diferente. Queremos, dentro da nossa possibilidade, reforçar a equipe, trazer novas opções e atletas que venham ajudar. Essa parada, nesse ponto, pode facilitar essa busca para reforçar a equipe", acrescentou o dirigente, que tem vínculo com o Cruz-Maltino até maio e ainda não definiu a sua permanência.

Pagamentos

Nesta semana, a diretoria conseguiu amenizar um pouco a crise dos salários atrasados que assola o quadro de funcionários. O Vasco pagou a primeira parcela do 13º e um mês dos que recebem como pessoa jurídica. Ainda faltam a segunda parcela do 13º, férias, e os salários de janeiro e fevereiro.

Fonte: UOL