Veja quem deve ficar e sair em 2019

28/11/2018 às 08h14 - FUTEBOL

A indefinição sobre a permanência do Vasco na Série A atrasou o planejamento da diretoria para o ano de 2019. Isso porque em caso de rebaixamento, o clube vai receber menos de R$ 10 milhões em cotas de TV. Permanecendo, o valor será bem maior. Portanto, o jeito é aguardar o desfecho da última rodada do Campeonato Brasileiro. No entanto já existe uma certa definição sobre a permanência dos jogadores em fim de contrato. Ao todo são 11 atletas nessa situação e poucos devem continuar no Vasco. A ideia do clube é diminuir a folha salarial em até R$ 1 milhão. O jeito é colocar tripulantes na barca.

Os que ficam

Luiz Gustavo

Primeiro reforço do Vasco para a temporada de 2018, o zagueiro chegou como um desconhecido, após uma passagem sem destaque pelo Oeste-SP. Devido a concorrência, Luiz Gustavo quase não atuou no primeiro semestre. No entanto, por ser polivalente, começou a ter oportunidades na lateral-direita e se tornou um dos jogadores que mais entrou em campo no ano. O jogador afirmou que a volta por cima foi fruto do esforço no dia a dia e espera permanecer no clube.

“Eu nunca deixei de trabalhar. Cheguei aqui como um “ninguém”, mas nunca deixei de trabalhar. Sempre dou o meu máximo todos os dias, seja nos jogos ou nos treinos. Isso é fruto do meu trabalho. Tudo que eu passei e conquistei foi com o meu suor no dia a dia. “Minha vontade é permanecer. A família está adaptada aqui e eu quero ficar. Já houve uma primeira conversa. Estou tranquilo, mas agora estou pensando apenas em jogar bola, focado nesse último jogo, para que as coisas possam acontecer depois fora do campo”.

Por ter um salário dentro da realidade do Vasco, Luiz Gustavo terá o contrato renovado com o clube.

Rafael França

Cria de São Januário, o lateral-direito jogou apenas uma partida em 2018, entrando no segundo tempo na derrota para a Cabofriense, pelo Campeonato Carioca. Entretanto, devido aos problemas na posição, Rafael França deve ter mais oportunidades no ano que vem. De acordo com o empresário do jogador, Evandro Ferreira, que é pai do Evander, Rafael França já possui uma renovação de contrato encaminhada com duração até dezembro de 2019.

William Maranhão

O volante pertence ao Boavista e chegou ao Vasco após a Copa do Mundo. A princípio foi contratado para compor elenco, mas rapidamente ganhou a titularidade. Ao todo disputou 13 jogos, apenas dois saindo do banco de reservas. A avaliação do jogador é positiva por parte da diretoria e da comissão técnica. Com isso a renovação não será um problema. O diretor de futebol do Boavista, Thiago Alves, afirmou que os clubes são parceiros e devem conversar sobre William Maranhão após o término do Campeonato Brasileiro.

Os indefinidos

Marcelo Mattos

Sem disputar uma partida desde o dia 16 de setembro de 2016, o volante segue se recuperando de lesões no joelho direito. Estima-se que no início de 2019, Marcelo Mattos já possa iniciar os treinamentos com bola para enfim, voltar a jogar futebol. No entanto não há definição sobre a permanência do atleta. O Vasco entende que já fez muito pelo jogador, renovando o contrato por duas vezes. A idade avançada, o longo período de inatividade e as diversas opções para a posição no elenco, dificultam ainda mais a renovação.

Andrés Rios

Vice-artilheiro do Vasco na temporada com 12 gols, o atacante também é o segundo jogador que mais jogou pelo time em 2018, com 54 partidas. Andrés Rios perdeu espaço na reta final do Campeonato Brasileiro, principalmente após a chegada de Maxi López. Entretanto é considerado um jogador importante, tanto que o Vasco procurou os representantes do argentino, no início no mês. No entanto, a permanência é difícil já que o clube não está disposto a investir muito pelo jogador.

Vale lembrar que em junho, a renovação de contrato do Andrés Rios foi uma verdadeira novela. Para manter o atacante, o Vasco deveria pagar 800 mil euros por 50% dos direitos econômicos, R$ 700 mil de luvas, contrato de três anos com salários de R$ 270 mil, aumentando R$ 10 mil a cada ano e mais comissão de 7% sobre o valor total do acordo, cerca de R$ 1 milhão. Evidentemente o clube não aceitou e os empresários do atleta aceitaram em uma nova renovação sem custas. Dessa vez não existe essa possibilidade.

Bruno Silva

O volante chegou ao Vasco a pedido do técnico Zé Ricardo para a disputa da Libertadores. Porém após a saída do treinador, acabou perdendo espaço com a chegada de Jorginho. Voltou a ter oportunidades com Alberto Valentim, engatando uma sequência no início do returno do Campeonato Brasileiro. Entretanto sofreu uma fratura no quinto metatarso do pé esquerdo e segue em recuperação. Ao todo disputou 15 partidas. De acordo com o empresário de Bruno Silva, o jogador deseja permanecer, porém o Vasco vai só vai conversar sobre a possibilidade após o término da competição. Entende-se que caso aconteça o pior, o volante possa até renovar por se tratar de um jogador barato.

Luan

Lateral-esquerdo formado em São Januário, Luan possui a sua situação indefinida. O jogador ainda não estreou nos profissionais e foi relacionado em apenas dois jogos, contra LDU-EQU, em Quito, pela Copa Sul-Americana, e diante do Corinthians, no primeiro turno do Campeonato Brasileiro, ambas as partidas com o técnico Jorginho. Com a lesão de Ramon e por ser um atleta da base, a tendência é que tenha o contrato renovado, porém essa informação não foi confirmada.

De saída

Fabrício

O lateral que virou meia com Valentim, não vai permanecer no Vasco. O jogador não conta com o prestígio junto ao torcedor e tem um salário considerado alto para um atleta que foi reserva praticamente em toda a temporada. Fabrício atuou em 21 jogos e marcou dois gols. Se notabilizou mais pelas polêmicas do que pelas boas atuações em campo.

Kelvin

O atacante está no Vasco desde o ano passado, porém sofreu uma grave lesão no joelho esquerdo que o tirou de toda a temporada de 2017. Retornou aos gramados em maio deste ano, porém não conseguiu ter sequência na equipe. Participou de 23 jogos, mas em 14 saiu do banco de reservas. Entretanto, nas últimas quatro partidas, vem sendo titular com o técnico Alberto Valentim. Caso a comissão técnica seja mantida, pode ser que a permanência seja solicitada, o que até o momento não aconteceu. Kelvin tem contrato com o Porto até dezembro de 2019 e não deve ser aproveitado por lá.

Giovanni Augusto

Contratado com status de titular absoluto do meio-campo, Giovanni Augusto passou a maior parte do tempo no departamento médico ou no banco de reservas. Disputou apenas 25 partidas, 15 como titular, marcando um gol. O Vasco paga um pouco menos da metade do salário do jogador, algo em torno de R$ 240 mil e não está disposto a investir esse valor novamente pelo atleta.

Lenon

O lateral-direito foi contratado junto ao Guarani para resolver os problemas da posição. Antes de estrear teve uma lesão muscular na coxa direita que o tirou dos gramados por pelo menos um mês. Retornou e até conseguiu uma sequência de nove jogos como titular até se lesionar novamente no final de setembro. Desde então não jogou mais e nem vai jogar, já que dificilmente vai ser relacionado contra o Ceará. O Vasco até o momento não procurou o jogador que está sendo solicitado pelo Guarani, como revelou o presidente do clube, Palmeron Mendes Filho.

“Contamos com o retorno dele. O vínculo com o Vasco acaba no final do mês e para permanecer, eles teriam que comprar os direitos econômicos, já que o Guarani não pretende renovar o empréstimo”.

Foto: Rafael Ribeiro/Vasco Luiz Gustavo em ação contra o Palmeiras
Luiz Gustavo em ação contra o Palmeiras

Fonte: Esporte24Horas

Especulação

Não vem

Você aprova a contratação de Roger Machado (Técnico)?

Especulações Mercado