Zé Ricardo deixa o Vasco sem pagar multa

04/06/2018 às 08h07 - FUTEBOL

Durante o domingo, nenhum nome de técnico surgiu à pauta do Vasco. Vários foram oferecidos, mas o clube ainda não chegou a um número comum para iniciar uma busca. O que o Cruz-Maltino já sabe é que não pretende ultrapassar o teto de R$ 200 mil de salários para o sucessor de Zé Ricardo.

Entre os oferecidos pelo ex-técnico cruz-maltino, Francisco Arancibia, atacante da Universidad de Chile, por exemplo, tem 15 jogos e um gol na temporada. Sequer foi relacionado para as duas partidas contra o Vasco, pela Libertadores, e se envolveu em um problema com o antigo treinador da equipe. Também por isso, perdeu espaço no time chileno. Em 2017, o jogador de 21 anos disputou 26 partidas pelo O'Higgins e não marcou gols.

Kayke, atacante do Bahia, também havia sido indicado. O jogador, porém, só disputou 14 partidas em 2018 e marcou um gol - não havia negociações por ele. O atacante Gilbert Álvarez, do Jorge Wilstermann, 26 anos, também tinha sido pedido por Zé Ricardo. Ele tem 46 jogos e 32 gols marcados na última temporada boliviana (2017/18, como no futebol europeu).

A saída no dia 2 de junho também não causou prejuízo financeiro para Zé Ricardo. Estava previsto no contrato do técnico que a partir do primeiro dia do mês a multa rescisória não existiria mais. Assim, ele deixa o Vasco antes do fim do ano sem pagar. Procurada, a assessoria de imprensa do treinador avisou que ele não se manifestaria.

Um dos dilemas da diretoria é o que fazer com alguns jogadores. No entendimento interno do clube, não há mais clima para o lateral-esquerdo Fabrício e o volante Wellington seguirem no Vasco. Os dois foram muito vaiados e xingados na derrota por 2 a 1 para o Botafogo. Ambos estavam na polêmica foto ironizando vaias da torcida.

Fonte: GloboEsporte.com

Enquete

Quem você gostaria que fosse o novo técnico do Vasco?

Deixe seu comentario