Imprensa

Análise: Vasco poupa para clássico e vai mal antes de primeiro teste

A partida contra o Nova Iguaçu foi o pior jogo do Vasco em 2024. Não pelo resultado - a primeira derrota do ano -, e sim pelo desempenho. Ramón Díaz optou por um time misto, que na primeira etapa foi envolvido pelo adversário e sofreu muito para criar lances de perigo. Na segunda etapa, colocou alguns titulares em campo, e a equipe vascaína melhorou, mas não o suficiente para evitar o revés.

Em uma semana de viagens antes do clássico contra o Flamengo, de Brasília para Uberlândia, em dois gramados ruins, Ramón Díaz optou - com razão - por poupar os principais jogadores para a partida contra o Nova Iguaçu. Do meio para frente, apenas Vegetti seria escalado como titular - isso porque o atacante sentiu uma indisposição no aquecimento e não começou a partida entre os 11.

A decisão de poupar se mostrou acertada, principalmente pelo "excesso de vontade" dos jogadores do Nova Iguaçu. Rossi, por exemplo, sofreu duas duras entradas em lances que o árbitro sequer marcou falta. O jogo ficou marcado por mais uma arbitragem ruim no Carioca. Desta vez, a Ferj agiu rápido e, em menos de uma hora, afastou João Marcos Fernandes.

O resultado poderia ser outro se Cayo Tenório tivesse sido corretamente expulso, ainda aos 25 minutos da partida. Mesmo assim, o Vasco teve uma atuação ruim em Uberlândia - coletiva e individualmente -, com muitos erros de passes e marcação, além de pouca efetividade no ataque.

O Vasco entrou em campo em um 4-2-4, com Serginho, Rossi, David e Rayan na frente. Com um meio de campo formado por Zé Gabriel e Praxedes, ficou clara a dificuldade para criar e concretizar chances no ataque. Espaçado, o time cedeu oportunidades ao Nova Iguaçu desde o início da partida, mas o adversário só abriu o placar em falha clara de Maicon na saída de bola.

No segundo tempo, Ramón Díaz voltou com João Victor, Lucas Piton e Payet nos lugares de Maicon, Julião e David. Os três foram os piores do primeiro tempo. O Vasco melhorou com as alterações, com os seus jogadores mais criativos do elenco - Piton e Payet. O empate quase saiu em um cruzamento sem querer do francês que parou na trave.

No entanto, faltou aquele algo a mais para converter as chances, o que também esbarra na carência do elenco por opções de ataque. Nos primeiros testes de 2024, o Vasco rendeu ofensivamente, na maioria das vezes, com o brilho de Payet. Enquanto Vegetti ainda não balançou as redes no ano, a equipe tem encontrado dificuldades para marcar gols quando não depende do francês.

Ao fim do jogo, o Vasco ainda se viu envolvido pelo time do Nova Iguaçu, que marcou belo gol em jogada coletiva, no qual também houve falha do sistema de marcação.

O clássico de domingo contra o Flamengo, no Maracanã, é o primeiro teste para valer de 2024. Será a oportunidade de ver como o Vasco renderá com o time titular sem Paulinho pela primeira vez, logo em um dos maiores clássicos do Brasil, diante de um dos times com mais investimento no país.

Emiliano Díaz e comissão encaram o Carioca como uma preparação para a temporada e não irão desgastar a equipe titular em todos os jogos. Mas também sabem da importância de dar essa resposta no primeiro clássico do ano.

- Clássico a gente tem que jogar vida ou morte, como todo jogo que estamos jogando. Vamos jogar com tudo o que a gente tem. Estamos em preparação. Ano passado chegamos à semifinal do Carioca e terminamos o ano brigando contra o rebaixamento. Temos um plano e não vamos sair dele, aconteça o que aconteça - disse Emiliano, na entrevista coletiva após a derrota para o Nova Iguaçu.

Fonte: ge
  • Sábado, 24/02/2024 às 17h30
    Vasco Vasco 2
    Volta Redonda Volta Redonda 1
    Campeonato Carioca Kleber Andrade
  • Domingo, 03/03/2024 às 18h10
    Vasco Vasco
    Portuguesa Portuguesa
    Campeonato Carioca São Januário