Com solidez na defesa e eficiência no ataque, o Vasco voltou a vencer

07/09/2020 às 08h24 - FUTEBOL

Com um combo de solidez na defesa e eficiência no ataque, o Vasco voltou a vencer no Brasileiro e continua entre os primeiros colocados, mesmo com um jogo a menos que adversários diretos como Internacional e São Paulo. Depois de três rodadas sem resultados positivos, o triunfo sobre o Athletico por 1 a 0, em São Januário, deu novo fôlego, mas deixou claro uma equipe que joga no seu limite. O argentino Cano resolveu o jogo mais uma vez e chegou a cinco gols na competição, um a menos que o artilheiro Thiago Galhardo, do Inter.

O resultado veio em boa hora e evitou que o time de Ramon Menezes se desgrudasse dos primeiros colocados. A última vez que o Vasco havia conquistado três pontos fora contra o Ceará em 20 de agosto, pela quarta rodada. Em seguida, empatou com o Grêmio, perdeu para o Fluminense e empatou com o Santos. Os três pontos deixam a equipe com 14, a três dos gaúchos.

Na quinta-feira, também em São Januário, o Vasco recebe o Atlético-GO. Se o cenário volta a ser positivo em termos de resultado, as atuações ainda se baseiam na consistência de um sistema de marcação e postura compacta que não é atraente para quem vê, mas é efetiva.

A expectativa é se o Vasco manterá a postura que vem dando certo até contra uma equipe da zona de rebaixamento no próximo jogo. Diante do Furacão, o gol logo aos seis minutos fez a aposta no jogo reativo funcionar de novo. Deu certo, embora Fernando Miguel tenha trabalhado de forma decisiva algumas vezes, e alguns sustos tenham acontecido.

Cano resolve

Aos seis minutos, Benitez apareceu mais avançado pela direita e logo emplacou boa jogada com Pikachu. Na tabela, o argentino serviu Cano, que sozinho só empurrou para o gol. Depois disso, o Vasco foi dominado pelo Athletico. O meia argentino teve que mudar de posição e encostar do lado esquerdo para ajudar a fechar os espaços e ainda tentar auxiliar Talles Magno. O jovem voltou ao time sem brilho, mas foi uma válvula de escape importante.

O problema é que a organização defensiva não se repete no ataque. O espaçamento entre os jogadores torna as jogadas raras e a posse de bola, pequena. No primeiro tempo, foi de 33%. Ramon precisou usar as opções de banco para manter a competitividade do time. Sobretudo quando Benítez cansou.

Com Fellipe Bastos apagado, o argentino ficou sobrecarregado na criação. Por isso, o técnico liberou mais Pikachu e colocou Cayo Tenório. Bruno Gomes substituiu Benítez. Por fim, a entrada de Ribamar no lugar de Cano trocou eficiência por força e arranque. Ele chegou a marcar o segundo, mas o gol foi anulado pois Bruno Gomes fez falta na origem da jogada.

Fonte: Agência O Globo