Criador do 'Museu de Memes do Vasco' fala sobre criação do perfil

05/02/2020 às 09h35 - FUTEBOL

O arquirrival, campeão do Campeonato Brasileiro e da Copa Libertadores, é o time da moda no Brasil e no Rio. Isso não dá para negar. Mas não é em todos os aspectos que os rubro-negros se destacam.

Ao menos quando o assunto é perfis de humor nas redes sociais, o grande destaque é o Vasco da Gama, que estreia hoje, às 21h30, na Copa Sul-Americana, contra o Oriente Petrolero, em São Januário.

Há quase um ano no ar, o perfil de Twitter Museu de memes do Vasco (@museudovasco) é um sucesso até mesmo entre torcedores de outros clubes, como atestou em entrevista ao ESPN.com.br A.B., 23, o criador e administrador da página.

"Sim, muita gente! A galera sempre diz "eu sou tal time, mas sou fã do Museu do Vasco!". É um número até alto de torcedores de outros clubes. Até flamenguistas!", garante ele.

A página, que tem atualmente 34,5 mil seguidores no Twitter e 3,7 mil no recém-criado perfil no Instagram, começou em 25 de fevereiro do ano passado.

"(A ideia) surgiu em fevereiro de 2019. Na época em que o “gordinho da água”, como ficou conhecido, entrou no Maracanã jogando água mineral na cabeça", conta A.B..

A cena em questão mostra um torcedor cruzmaltino, o primeiro a entrar no Maracanã, na final da Taça Guanabara de 2019. No dia, houve uma confusão generalizada entre torcedores e policiais, com direito a corre-corre e gás de pimenta.

(O Vasco venceu o Fluminense por 1 a 0 e ficou com o título.)

Foi nesse dia que surgiu também outro meme famoso, com o torcedor que dizia que viu "até criança de colo correr" para fugir da confusão.

"A criação do museu não foi premeditada", explica seu criador. "Quando eu vi aquela cena, pensei em criar um acervo de todos os momentos engraçados do Vasco. São muitos!", explica ele, que não tinha um acervo quando iniciou o perfil.

"A galera vai me ajudando, enviando sugestões na DM. Algumas coisas que eu nem imaginava que já aconteceram", conta. "Desde o início, eu devo ter recebido pra mais de 400 mensagens de pessoas diferentes. Sem exagero", afirma.

Mas nem tudo é alegria. Há os torcedores que não gostam da brincadeira - e é até por isso que A.B. prefere manter sua identidade em sigilo.

"Algumas pessoas riem juntas, mas tem sempre aquele que não gosta. Briga, manda mensagem falando que vai denunciar e outras coisas até mais pesadas", revela ele. "Já até me chamaram de flamenguista", conta.

Dentre os memes postados, o que ele mais gosta é o que deu origem à página. Mas o que mais o surpreendeu foi uma notícia dando conta de que o Vasco seria processado pela cantora Lady Gaga por conta de uma música da torcida.

"Foi muito aleatório. Era mentira mas, na época, realmente rolou essa notícia", diz.

Na contramão de uma época em que postar na internet se tornou a profissão de muita gente, A.B. não quer fazer do museu seu ganha-pão, embora já tenha recebido propostas.

"Já, mas não aceitei nenhuma até agora. Lojas de roupas, smartphones, site de apostas. Não quero me envolver nessas coisas sem saber a procedência. Nunca fiz isso", diz.

O museu já inspirou páginas semelhantes de torcedores de outros clubes.

"Alguns me mandaram até mensagens dizendo que fizeram do time deles depois de ver o do Vasco. Fiquei feliz", conta.

No Vasco, até o momento, ninguém se manifestou contrariamente à página.

"Nunca falaram comigo, do clube. Algumas pessoas que trabalham lá seguem o perfil, mas nunca chegaram até a mim pra falar nada", diz.

Com a ascensão do Flamengo e os problemas financeiros do Gigante da Colina, o Museu acaba sendo um modo de lidar, de maneira bem-humorada, com a fase complicada do time.

"Muitas vezes, sim. É uma forma de fazer a galera rir, se distrair um pouco e por um momento não pensar nas dificuldades do clube".

E, mesmo que a fase do clube melhore, o museu não tem data para "fechar suas portas":

"Enquanto houver memes, haverá museu!", garante seu curador.

Fonte: ESPN Brasil