Em lives, Pedrinho já emocionou pequeno torcedor e tratou de temas delicados

13/05/2020 às 08h16 - FUTEBOL

Seja para abrir o bate-papo a um pequeno fã mirim e levá-lo às lágrimas, ou para ter a coragem de abordar o delicado tema da depressão, Pedrinho é uma das personalidades do esporte brasileiro que mais tem se destacado na onda de "lives" que famosos têm feito no Instagram durante a pandemia do coronavírus.

Com uma rotina constante nas transmissões ao vivo, o ídolo do Vasco — que hoje é comentarista do SporTV — tem emocionado seus seguidores e já possui em andamento um projeto amplo e elaborado sobre a doença que o acometeu entre 2001 e 2005, quando ainda era jogador — este é o assunto que mais repercute em suas gravações.

Em parceria com uma instituição, a ideia é levar o trabalho de combate à depressão a atletas adolescentes nos clubes.

"Tem um projeto com uma instituição importante, que estava num andamento forte, rápido, mas que com a pandemia segurou um pouquinho. Eu vou ser uma espécie de embaixador, e a ideia é trabalhar com garotos de 14, 15 anos, pois há estudos de que daqui a dois anos alguns deles vão ter índices grandes de depressão e até mesmo suicídio. Será uma ação social com o lado esportivo, incluindo alguns clubes", declarou Pedrinho ao UOL Esporte, sem revelar o nome da instituição.

Estava assistindo a live do Pedrinho, em sua conta do Instagram. Relato emocionante sobre a depressão e as diversas lesões. ?Eu era humilhado pela imprensa com apelidos colocados, como: ?podrinho?, ?canela de vidro?... sem saberem o que tinha por trás daquilo?

Sobre a grande repercussão de sua live para tratar sobre o tema, Pedrinho faz questão de frisar que sua forma de lidar com o tratamento não foi correta, e que o objetivo do debate foi o de mostrar às pessoas que enfrentam a doença que ele conseguiu superar e hoje viver feliz.

"Eu não botei aquilo ali como se fosse um exemplo, até porque usei o protocolo errado, mas eu quis provar para as pessoas que, depois de passar pela depressão, eu consegui ver o quanto a vida é boa. Muitas pessoas não têm controle e vão ao limite com o suicídio, já muitas outras não têm o prazer de viver, mas não têm a coragem de chegar ao nível que essas pessoas chegaram. E há os níveis mais abaixo, que ficam trancadas no quarto, se distanciando...Às vezes, eu posto foto malhando, ou na praia, ou jogando futevôlei e muitas pessoas podem pensar: 'O que isso está me acrescentando?' Mas publico isso para a pessoa com depressão ver que estou feliz, vivendo uma vida legal e com vontade de vencer", destacou.

Levou pequeno vascaíno às lágrimas e o presenteou com chuteira

Outro momento de destaque nas lives que Pedrinho tem feito rotineiramente em seu Instagram (@pedrinho_77) foi quando teve um inesperado encontro virtual, na semana passada, com seu xará e fã mirim Pedro Vitor Moraes, de 7 anos.

O pequeno vascaíno, morador do bairro de Benfica (zona norte do Rio de Janeiro), bem próximo a São Januário (RJ), foi integrado pouco antes da pandemia ao sub-7 do Vasco e, vendo vídeos do ex-jogador nos tempos de Cruz-Maltino, passou a admirá-lo.

No último dia 8, Pedrinho resolveu abrir a live para conversar com torcedores comuns e se deparou com a mensagem da mãe do menino, Natally, dizendo que seu filho estava aos prantos querendo entrar no bate-papo com o ídolo.

"Eu não sou blogueiro, influencer, nada disso, mas sinto que as pessoas estão carentes neste período de pandemia, e aí me deu na telha de fazer uma live abrindo para conversar com o público. É até arriscado, porque pode pegar alguém que não gosta de você (risos), mas eu dei sorte, porque fui chamando as pessoas, não sabia se eram crianças ou não, porque eram muitas mensagens, e esse menino eu já estava até saindo da live, mas aí consegui ler a mensagem da mãe falando que o filho estava chorando, e quando eu entrei, ele já estava em prantos. Eu me emocionei, comecei a conversar... Foi muita coincidência, ele mora em Benfica, é chamado de Pedrinho, joga no Vasco... Fiquei bem emocionado", recordou.

De família humilde e oriunda de Manaus (AM), Pedro Vitor ainda teria mais duas surpresas: uma live exclusiva no dia seguinte com seu ídolo e um presentão: uma chuteira de uma marca esportiva famosa com o selo do craque português Cristiano Ronaldo.

"Eu fiquei muito emocionado em falar com o Pedrinho. Quando ele falou que ia me dar um presente, achei que fosse uma bola, mas foi logo uma chuteira do Cristiano Ronaldo", disse o pequeno Pedrinho, que destacou o que mais o chamou atenção nos vídeos que viu do ídolo no YouTube:

"Os dribles, os gols, as tabelas, quando ele vai ao fundo em profundidade...".

Os "Pedrinhos" têm um encontro marcado pessoalmente assim que a pandemia passar, e o menino de 7 anos não vê a hora disso acontecer: "Estou muito ansioso".

"Não vejo diferença entre jogador e uma profissão mais simples"

A opção de Pedrinho em abrir as lives para entreter os fãs e seguidores em geral foi, em sua visão, uma oportunidade de mostrar que não há diferenças entre uma pessoa pública e um cidadão comum.

"Eu sou um cara muito simples, apesar de ter conquistado minhas coisas. Eu não vejo diferença mesmo entre um jogador de futebol famoso, um popstar e uma pessoa com profissão mais simples. Muito pelo contrário. As pessoas mais simples nos dão muito mais dignidade. Se não tivesse o gari, por exemplo, teríamos uma cidade imunda. Então, qual a diferença do cara que faz um gol no San Siro [estádio em Milão-ITA] para o cara que limpa a rua? Na balança, o cara que limpa a rua muitas vezes vai ter muito mais importância que o cara que faz gol no Bernabéu [estádio do Real Madrid]. Como ser humano, o que quis mostrar é que a conversa é de igual para igual", frisou Pedrinho, que também já fez lives com personalidades do futebol e figuras importantes de outros setores.

Fonte: UOL Esporte