Envolvidos no acidente estavam sem capacetes e em alta velocidade

22/06/2019 às 15h11 - CLUBE

Os envolvidos no acidente de moto que matou o atacante Thalles não estavam usando capacetes no momento da tragédia, segundo a Polícia Militar do Rio de Janeiro. A colisão das duas motocicletas aconteceu às 6h29 (de Brasília) de hoje (22), no bairro Monjolos, em São Gonçalo (RJ). As autoridades ouvidas pelo UOL Esporte afirmaram que os dois veículos estavam em alta velocidade. 

Na colisão, Bianca Ramos, de 34, acabou sendo atropelada por uma das motos. Ela teve apenas ferimentos leves. "Quando dei por mim, só vi uma moto vindo em minha direção. Eles colidiram e logo caíram ao chão", contou. 

Bianca confirmou que o socorro demorou a chegar ao local do acidente. A reclamação foi feita também pelo tio de Thalles, Jorge Conceição, em entrevista à "Globo". 

"O socorro demorou muito a chegar. Falaram que eles iam chamar o helicóptero, mas o helicóptero não buscou meu sobrinho. Demorou uma hora, uma hora e meia para sair daqui. Só saiu porque a família botou pressão, aí eles conseguiram sair e trazer para o hospital", disse ele. 

Além de Thalles, Yuri Martins, 27, morreu no momento do acidente. Outras quatro pessoas ficaram feridas. Entre elas, Karolayne Almeida, de 19 anos, namorada do jogador da Ponte Preta. Ela foi encaminhada para o Hospital Estadual Alberto Torres e seu quadro de saúde é estável. 

"Tive um enorme susto quando me ligaram dizendo que minha filha estava indo para o hospital", disse Fátima Almeida, mãe de Karolayne. Ela afirmou não saber que sua filha e Thalles iriam a um baile funk na região na noite passada. 

Thalles tinha 24 anos e estava emprestado pelo Vasco para a Ponte Preta. No clube paulista, ele fez 19 jogos na temporada, marcando cinco gols. Antes da "Macaca", o jogador atuou emprestado ao Albirex Niigata, do Japão, na temporada passada. Por lá, marcou seis gols em 41 jogos. 

O atacante era oriundo das categorias de base do Vasco e chegou a defender a seleção brasileira sub-20 no Sul-Americano de 2015. Titular em quase toda competição, balançou as redes em três oportunidades. O Brasil terminou em quarto na ocasião. 
 

Fonte: UOL Esportes