Imprensa

Gilmar Ferreira: 'O Vasco está brincando com seu futuro'

A saída do CEO da SAF do Vasco, Lúcio Barbosa, e da diretora de finanças, Kátia dos Santos, que se demitiram na manhã de terça-feira (11), piorou ainda mais o cenário que já não era animador. Por ora, a gestão da empresa filiada à CBF (consequentemente à FIFA) está sem os executivos que assinavam seus acordos administrativos e financeiros com os credores e as entidades normativos filiadas à FIFA, como CBF e federação. Os documentos passarão a ser assinados pelo presidente Pedro Paulo, o ídolo Pedrinho, com base no Artigo 150 da Lei das Sociedades Anônimas (S.A.)

Ou seja: em linhas gerais, a empresa criada para impedir que a divida de R$ 770 milhões inviabilizasse o futebol do clube, hoje registrada como participante das competições oficiais, não tem perspectiva de receitas e está sem gestão - à deriva no mar revolto. Pior: cercada por tubarões que se materializam assustadoramente na figura de credores que podem atrasar a navegação no competitivo ambiente do Brasileiro da Série A.

Formalmente, Pedro Paulo, o presidente Vasco, e Paulo Salomão, seu vice, dois dos três membros que hoje compõem o Conselho de Administração do Vasco - SAF, têm de contratar os profissionais que assinarão pela empresa. Por ora, o próprio presidente arcará com essa missão. Sem se descuidar de temerária insatisfação dos membros do Conselho Fiscal da SAF: Carlos Antônio Rodrigues, o presidente, Wander Faria, ambos indicados pela 777, e Marcos Schroeder, indicado pelo clube.

Pelo regimento das SAs, os membros do Conselho Fiscal são considerados “responsáveis solidários” nos danos causados a terceiros, ao lado dos gestores da empresa. E pelo que as cúpulas do clube e da SAF circulam nos bastidores, as finanças estariam equilibradas até setembro, com apenas três meses do ano descobertos. Mas não é verdade: informações dão conta de que já não há dinheiro em caixa para o pagamento dos salários no próximo dia 5 de julho.

E não para por aí: dentro do plano de recuperação financeira da 777 Partners sugerido por executivos da B Riley Advisory, empresa que assumiu a missão de reestruturar os negócios do grupo americano, está a possibilidade de denunciar o Vasco à FIFA. A empresa alega ter investido em torno de U$ 60 milhões de dólares (cerca de R$ 300 milhões), sendo afastada por quebra de contrato em decisão monocrática da Justiça comum.

Longe do que possa parecer, a saída de Lúcio Barbosa, neste momento, não deveria ser motivo de festa. Por piores que fossem os resultados do time, havia protocolo de gestão e conhecimento técnico. Agora, não há nada: dinheiro, profissionais de gestão ou planejamento técnico.

O Vasco está brincando com seu futuro.

Fonte: Futebol Coisa e Tal - Gilmar Ferreira - Extra
  • Domingo, 21/07/2024 às 16h00
    Vasco Vasco 0
    Atlético Mineiro Atlético Mineiro 2
    Campeonato Brasileiro - Série A Arena MRV
  • A definir
    Vasco Vasco
    Grêmio Grêmio
    Campeonato Brasileiro - Série A A definir
  • A definir
    Vasco Vasco
    Cuiabá Cuiabá
    Campeonato Brasileiro - Série A A definir
  • A definir
    Vasco Vasco
    Red Bull Bragantino Red Bull Bragantino
    Campeonato Brasileiro - Série A A definir
  • A definir
    Vasco Vasco
    Fluminense Fluminense
    Campeonato Brasileiro - Série A A definir
  • A definir
    Vasco Vasco
    Criciúma Criciúma
    Campeonato Brasileiro - Série A A definir