O Vasco foi heróico na partida desta quarta-feira, contra o Criciúma

13/04/2006 às 00h23 - FUTEBOL

De virada e com um homem a menos desde os 21 minutos do primeiro tempo (Edílson foi expulso depois de agredir um adversário), o Vasco venceu por 2 a 1 e ficou muito próximo de conseguir a vaga nas quartas-de-final da competição.

Para o Criciúma, Alex Sandro marcou aos 9 minutos do primeiro tempo. Ramon, 12 minutos depois, e Ernane, aos 42 da etapa final, fizeram os gols da equipe vascaína.

O primeiro tempo foi interessante. O Vasco, quando tinha a posse de bola, soube prendê-la e puxou bons contra-ataques. Já o Criciúma, aproveitou-se da pressão da torcida catarinense, que lotou o Estádio Heriberto Hulse e criou boas oportunidades de gols.

Uma das principais armas do Criciúma foi utilizar o lado esquerdo de ataque por intermédio de Fernandinho que, no Campeonato Brasileiro de 2005, defendeu o Vasco. O goleiro Cássio teve de se desdobrar em algumas oportunidades para cortar os cruzamentos perigosos agora ala da equipe catarinense.

Na sua estratégia de esperar o Criciúma sair para o jogo, o Vasco perdeu uma boa oportunidade de abrir o marcador. Aos 8 minutos, Valdiram entrou cara a cara com o goleiro Fabiano, mais em vez de rolar para o lado na direção de Edílson, tentou a jogada individual e perdeu o gol. Foi a deixa para o Capetinha abrir os braços, gesticular e reclamar muito com o companheiro.

Porém, o castigo veio um minuto depois. Fernandinho desceu bem pela esquerda, deu um corte para o meio, mas chutou em cima de Fábio Braz. A bola sobrou para Alex Sandro, que encheu o pé e acertou um belo chute no ângulo direito de Cássio.

Apesar do golpe sofrido, o Vasco soube assimilá-lo e se recuperar. Depois de boa bola lançada por Ygor, Ramon, aos 21 minutos, entrou na área sozinho e, com categoria, tocou na saída do goleiro Fabiano para empatar a partida. Era apenas o primeiro chute do Vasco no primeiro tempo.

Depois do empate, quem perdeu a cabeça foi o atacante Edílson. Irritado com a marcação adversária, o Capetinha deu uma cotovelada no rosto de Luizinho Netto. Não teve jeito: o árbitro viu e expulsou o camisa 10. Daí até o fim, a partida ficou corrida, mas o Vasco soube segurar o resultado.

Na segunda etapa, a equipe catarinense voltou a pressionar, mas não soube tirar proveito da vantagem numérica. Fernandinho continuou levando perigo pelo lado esquerdo e travou um bom duelo com Wágner Diniz. O técnico do Criciúma, Édson Gaúcho, promoveu a estréia de Negreiros, atacante que já defendeu o Flamengo.

Ao contrário do adversário, o Vasco atuou todo o segundo tempo de maneira inteligente. Bem postada no campo de defesa, a equipe segurou o ataque do Criciúma, procurou tocar a bola e ganhava tempo sempre que possível.

A jogada mais perigosa do Criciúma no segundo tempo aconteceu aos 20 minutos: Luizinho Netto cobrou uma falta e Cássio fez bela defesa de mão trocada. Porém, o Tigre chutou oito vezes ao gol do Vasco.

O técnico Renato Gaúcho tratou de utilizar bem as três substituições a fim de ganhar mais tempo, pois o empate com gols era vantajoso para o Vasco. Mas quis a sorte que a sua segunda alteração fosse resolver a partida. Aos 42, Ernane, que havia acabado de entrar, aproveitou bom passe de Abedi e bateu forte no canto do goleiro Fabiano para desempatar.

Agora, o Vasco está com a mão na vaga para as quartas-de-final da Copa do Brasil.

Fonte: Lancepress