Osório fala sobre investimentos para SJ receber rúgbi em 2016

24/10/2009 às 01h30 - CLUBE

O secretário-geral do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Roberto Osório, fala, entre outros assuntos, sobre investimentos para que o Estádio Vasco da Gama, mais conhecido como São Januário, sedie o rúgbi nos Jogos Olímpicos Rio 2016.

FUTEBOL ABRIR OPORTUNIDADE PARA O RÚGBI EM SÃO JANUÁRIO

\"O futebol, nos Jogos Olímpicos, vai seguir uma lógica, como já acontece nas últimas edições. O único esporte que vai ser disputado fora do Rio de Janeiro também, é o futebol. O futebol vai ser disputado, no Rio de Janeiro, apenas a fase final. As semifinais e finais vão ser no Maracanã. As preliminares vão ser disputadas em quatro cidades brasileiras: São Paulo, Belo Horizonte, Brasília e Salvador, utilizando os mesmos estádios que vão ser reformados para a Copa do Mundo de 2014. O futebol olímpico, no momento inicial, tem quatro chaves em quatro cidades brasileiras. Depois, as finais vêm para o Rio de Janeiro. O palco das finais será o Maracanã. No Rio de Janeiro, o único estádio que receberá o futebol é o Maracanã, já na fase final. Todas as preliminares serão nessas outras quatro cidades. Por isso, não há oportunidade e nem necessidade de um segundo estádio para o futebol no Rio de Janeiro. Daí a oportunidade que nos deu de incluir o Estádio de São Januário no rúgbi, que é uma nova competição\", disse no programa \"Só dá Vasco\", veiculado na Rádio Bandeirantes, nesta quinta-feira (22/10).

RÚGBI NO BRASIL

\"O rúgbi é um esporte, e eu acho que os vascaínos devem ter o interesse e uma curiosidade em conhecer um pouquinho mais. Acho que até - eu já conversei um pouco com o Roberto [Dinamite] - o Vasco devia montar um time de rúgbi, para a gente começar nessa nova modalidade. O rúgbi é um esporte muito interessante. Acho que vai cair no gosto do brasileiro muito facilmente. É um esporte de contato físico. É o esporte daquela bola oval, cujo objetivo é transpassar a linha de fundo, vamos dizer assim, carregar a bola até a linha de fundo. Você marca o gol quando o sujeito leva a bola até a linha de fundo. Você também pode chutar e fazer um gol que vale menos pontos, de longe, naquele \"U\", que é o nosso placar. O rúgbi olímpico vai ser a modalidade disputada por sete jogadores - sete de cada lado. O rúgbi tem o rúgbi de quinze e o rúgbi de sete. O que foi aprovado para os Jogos Olímpicos é o rúgbi de sete. É um esporte extremamente ágil, que tem um contato físico, é rápido, tem drible. Acho que é um esporte que vai calhar bem. Para o Vasco, vai ser muito interessante, porque a partir do momento em que o Estádio Vasco da Gama vira um estádio olímpico de fato e de direito - vai receber uma competição oficial -, certamente o nosso estádio vai merecer investimentos para a preparação de São Januário para o esporte.\"

BENEFÍCIOS PARA O VASCO

\"Acho que para o Vasco, essa é uma oportunidade extraordinária. Infelizmente, durante os Jogos Pan-americanos, nós não pudemos ter o Vasco da Gama como um dos nossos estádios. Havia essa previsão, mas isso não foi possível, infelizmente. Acho que o Vasco perdeu uma oportunidade de ceder o seu estádio para os Jogos e, com isso, receber alguns investimentos. Agora, nos Jogos Olímpicos, nós teremos essa grande oportunidade. E oportunidade talvez ainda maior, porque a dimensão e a magnitude dos Jogos Olímpicos é bastante superior à dos próprios Jogos Pan-americanos. Eu vejo, para o Vasco, dois grandes benefícios, Um, intramuros, dentro da nossa casa, dos nossos muros, no patrimônio do Vasco da Gama, que é investimentos na recuperação do estádio e na atualização do estádio para receber essa competição.\"

CARACTERÍSTICAS DE SÃO JANUÁRIO

\"Primeiro, os vascaínos não devem se preocupar de absoluto com relação a nada que vá mudar as características do estádio, ou com relação ao campo de jogo. O campo de jogo de rúgbi é exatamente nas mesmas dimensões do campo de jogo de futebol. Não há necessidade de se expandir o gramado para nenhum lado. Na arena, na cancha do futebol, você joga o rúgbi sem nenhum tipo de problema e sem necessidade de adaptação. O que você vai fazer é a marcação do futebol. A grande área, o círculo central, etc, vão ser apagadas temporariamente para você implementar a marcação nas dimensões de um campo de rúgbi. Mas não há necessidade de nada estrutural no gramado. O rúgbi é um jogo muito parecido com o futebol. Os jogadores usam a chuteira que é praticamente igual à do futebol. O dano que acontece no gramado em uma partida de rúgbi é praticamente, exatamente igual ao que acontece em uma partida normal de futebol. Essa é uma questão, eu acredito que menor, que não mereça nem ser debatida.\"

INVESTIMENTOS

\"Com relação aos investimentos no estádio, nada vai ser feito que não tenha a concordância do Vasco da Gama, que é o dono do equipamento. Nós, na verdade, já tivemos uma primeira reunião com o nosso presidente, Roberto Dinamite, que colocou à disposição de um grupo de trabalho, que agora vai começar a trabalhar - o departamento de patrimônio do Vasco, os diretores da área de patrimônio, com a equipe do Comitê Organizador. Nós vamos ter uma primeira reunião de trabalho já na semana que vem, para receber todas as plantas do Estádio de São Januário e começar a estudar as adaptação e melhorias que vão ser feitas para a competição de rúgbi. Agora, o Vasco da Gama, que tomará a decisão, em última instância... Se vai se decidir por alguma expansão de arquibancadas, etc, é uma decisão conjunta com o Vasco da Gama. Nada vai ser feito se o Vasco da Gama não estiver de acordo, e que não seja em benefício do próprio Vasco da Gama.\"

NECESSIDADES

\"O que nós vamos precisar é de um estádio mais moderno, com uma melhor infraestrutura de comunicações, uma melhor área de atendimento à imprensa, melhores equipamentos médicos, da área de vestuários. Acho que a infraestrutura do estádio vai se beneficiar enormemente dessa operação. Os Jogos Olímpicos têm uma série de requerimentos, que hoje são os mais modernos do mundo, principalmente no que diz respeito à área de atletas, aos vestiários, às exigências na área médica. A área de imprensa e televisão é fundamental. Para terem uma ideia, durante os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, nós teremos 22 mil jornalistas credenciados cobrindo os Jogos Olímpicos. Isso é um número extraordinário. As áreas de imprensa são muito importantes. O nosso estádio estará sendo com imagens geradas para todo o mundo. Vai ser um estádio que já é o mais bonito, o mais conhecido. Imagina, vai ser mais conhecido ainda. Isso, eu acho que para o Vasco, para a marca Vasco da Gama, é importante, a valorização do nosso patrimônio, não só em uma visão apenas nacional, mas também internacional. Essa é a parte estrutural intramuros.\"

MELHOR ACESSO

\"Um outro benefício para o Vasco é uma questão a cargo da prefeitura. O prefeito Eduardo Paes e o nosso secretário municipal de urbanismo, outro vascaíno, o arquiteto Sérgio Dias, que é um vascaíno extraordinário, um homem que tem um amor ao Vasco muito grande também, já nos disseram que o entorno do Estádio de São Januário vai receber melhorias da parte da prefeitura do Rio, para que o acesso ao Estádio de São Januário seja facilitado. Isso é importante para os Jogos Olímpicos, mas é um grande legado para o Vasco da Gama após os Jogos Olímpicos. Isso é uma coisa muito interessante, porque vai de encontro ao desejo do governador Sérgio Cabral e do prefeito Eduardo Paes, de levar investimentos relativos aos Jogos Olímpicos para outras regiões da cidade, principalmente na Zona Norte. Aquela região tão importante e tradicional de São Cristóvão, a região do bairro Vasco da Gama, vai merecer investimentos importantes. Isso certamente vai ser um legado muito grande. Acho que o Vasco vai ter um legado duplo: um legado do lado de fora do estádio e um legado também do lado de dentro. Acho que é um presente para o Vasco da Gama. Na verdade, é merecido. Eu falei isso muito para os nosso amigos da Federação Internacional de Rúgbi e as pessoas todas que trabalharam nisso. Nós falamos, antes da nossa eleição, \"Vocês têm que torcer muito para o Rio de Janeiro ser eleito, porque nenhuma das outras três cidades - Madri, Tóquio e Chicago - tem o Estádio Vasco da Gama, tem São Januário. Torçam para o Rio ganhar, porque o rúgbi vai ser muito feliz lá em São Januário\".\"

CAPACIDADE DE SÃO JANUÁRIO

\"As federações internacionais sempre brigam pelo maior palco possível para as suas modalidades. Isso é natural de cada uma delas. O Estádio de São Januário, como ele está hoje, atenderia, em termos de público, as competições de rúgbi. Mas existe o desejo, da Federação Internacional de Rúgbi, de ter uma capacidade maior, se for possível. É uma discussão que vai ser feita entre o Vasco da Gama e as nossas autoridades, se vale a pena ou se há o interesse do Vasco em ampliar o estádio. Nós acreditamos que há esse interesse. Essa é uma discussão que vai ser travada.\"

MAIS CONFORTO PARA O TORCEDOR

\"Uma outra coisa muito importante, que o COI exige - isso vai ser um grande benefício para os vascaínos -, é na qualidade do conforto do público espectador no estádio. Não apenas o conforto de assistir a partida. Hoje, você assistir a uma partida em São Januário já é extraordinário, pela proximidade que você fica do campo de jogo. Mas todos os aspectos de chegada, de acesso, as cadeiras, os assentos numerados. Tudo isso, eu acho que vai possibilitar um aumento da qualidade do espectador naquele estádio. Isso é muito bom para o Vasco, eu acho que no futuro também.\"

OBRAS PRONTAS PARA RECEBER OS JOGOS

\"A regra do Comitê Olímpico Internacional é que um ano antes do início dos Jogos Olímpicos sejam realizados eventos-testes em todas as instalações esportivas. Por essa regra, nós deveríamos estar organizando um evento de rúgbi em São Januário para testar o estádio, fazer todos os ajustes necessários, ao longo do ano de 2015. As obras estruturais no estádio deverão estar prontas em 2015, para que sejam testadas, sejam verificadas necessidades de algum tipo de ajuste, para aí, sim, em 2016, o estádio estar absolutamente pronto para as competições de rúgbi. Agora, isso não quer dizer que o Vasco da Gama vai prescindir de jogar no seu estádio. O estádio do Vasco da Gama vai continuar funcionando como o estádio do Vasco da Gama. Existe uma norma da cessão do estádio durante o período dos Jogos Olímpicos e um período de antecipação para que toda a checagem de segurança seja feita, os equipamentos instalados. Mas o Vasco da Gama estará utilizando o seu estádio normalmente durante todo o período. Com relação aos investimentos, todo esse planejamento também será feito em conjunto com o próprio Vasco. A implementação das obras necessárias de reforma e adaptação vai ser feita em conjunto com o Vasco, de modo a possibilitar ao máximo a utilização do estádio e causar a menor interrupção possível para a evolução desse equipamento.\"

\"Isso, na verdade, vai ser algo agora de vários estudos dos técnicos responsáveis por analisar a implementação dos Jogos no Estádio de São Januário. Depois, vai haver uma conversa entre o Vasco da Gama e as autoridades responsáveis para se definir exatamente o que será implementado. Mas o objetivo de qualquer intervenção no estádio é para melhorar a sua qualidade. A decisão final cabe sempre ao Vasco, que é o dono do equipamento, tem a última palavra e vai decidir efetivamente, em última instância, o que será feito. Existem requerimentos mínimos que são necessários, mas nenhum desses requerimentos vai contra qualquer objetivo do Vasco, que é certamente dar mais conforto ao seu torcedor, à imprensa que trabalha na cobertura dos eventos do Vasco da Gama, e também aos atletas que participam das competições ali. Acho que essa é uma parceria ganha-ganha. Eu acredito que certamente o Vasco vai ter muito a ganhar. Acho que, para nós, vai ser uma felicidade poder estar trabalhando nessa direção. Acho que ganha também não só o Rio, o Vasco, mas ganha o Brasil.\"

\"A gente não pode se esquecer da tradição que tem o estádio do Vasco da Gama. O Estádio de São Januário é o estádio, no Brasil, que tem a história mais bonita. Surgiu de um momento de crise, de um clube se afirmar, de se unir e se afirmar frente a discriminação, a preconceitos. Tem uma belíssima história o estádio do Vasco da Gama. O nosso estádio serviu ao Brasil diversas vezes - na Segunda Guerra Mundial, foi palco de grandes comícios. O Brasil, com este investimento no Estádio Vasco da Gama, vai estar resgatando e valorizando um grande patrimônio, que é dos vascaínos, mas é também de todo o povo brasileiro.\"

SÃO JANUÁRIO ABERTO QUANDO O MARACANÃ ESTIVER FECHADO

\"Isso, eu acho que a gente tem que sempre aplaudir e agradecer esse grande vascaíno que é o nosso governador Sérgio Cabral. O planejamento que o Governo do Estado está fazendo é para começar essas intervenções no Maracanã já ao longo do ano que vem, de modo que o Maracanã possa estar pronto para a Copa das Confederações, que é o evento-teste da Copa do Mundo, em 2013, e depois, para a Copa em 2014 e os Jogos Olímpicos em 2016. O governador determinou - e isso está sendo feito - que todas as intervenções que serão feitas agora no Maracanã já o preparam automaticamente tanto para a Copa do Mundo quanto para os Jogos Olímpicos. Não será necessário, depois do Maracanã ser entregue para a Copa do Mundo, qualquer tipo de obra estrutural para qualificá-lo para os Jogos Olímpicos. Tudo vai ser feito ao mesmo tempo. Claro que nos Jogos Olímpicos, o que vai ser feito durante os Jogos são aquelas estruturas temporárias, principalmente porque o Maracanã vai ser o palco da cerimônia de abertura, que tem todos aqueles fogos de artifício, acontecem todas aquelas maluquices, botam lagos, cascatas, etc e tal. Mas toda a infraestrutura já estará pronta. Para o nosso planejamento, o Estádio de São Januário, se por ventura precisar ser fechado por algum período de tempo, isso só seria feito depois que o Maracanã voltar à sua plena atividade, para que o Vasco da Gama e os outros times do Rio de Janeiro não deixem de ter as alternativas para as suas competições e mandar os seus jogos.\"

PROJETO PESSOAL PARA O VASCO

\"O meu grande projeto para o Vasco agora é ajudar nesse processo de transformação do nosso Estádio de São Januário. Eu tenho um compromisso, com o Comitê Olímpico Brasileiro, de estar trabalhando, e também com o nosso prefeito, o nosso governador, de estar à frente da organização dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, que é uma tarefa extraordinária. Eu estou muito feliz de poder ter essa oportunidade de ter o Vasco dentro desse caminho, como parte desse projeto. Eu sou uma pessoa que vou estar sempre à disposição do Vasco. O Vasco é uma paixão na minha vida. Sempre que eu for chamado para estar à serviço do Vasco, nada poderia me dar mais prazer e mais felicidade de estar à serviço do clube, seja lá em que capacidade for, ajudando ou colaborando em qualquer tipo de capacidade. Desde torcedor, que eu já sou, ou qualquer outra coisa que o Vasco me chamar, eu sempre estarei à disposição do meu clube. Acho que essa é uma obrigação que eu tenho como vascaíno, como todos os vascaínos. Acho que, para nós, vascaínos, que alegria maior e que recompensa maior que poderíamos ter, de poder nos sentirmos úteis ao nosso clube, a uma paixão da nossa vida. Eu vou estar sempre à disposição do Vasco, para o que o Vasco precisar de mim. Acho que o Vasco tem essa característica especial. O Vasco é muito maior do que todos nós. O Vasco é um negócio que não pertence a ninguém. É uma coisa muito grande e muito importante. Cabe a nós, vascaínos, fazer com que ele seja cada vez maior e sempre esteja no seu lugar, que é o lugar de maior clube do Brasil, com as maiores glórias, a melhor torcida, e certamente o mais bonito estádio e patrimônio não só do Rio, do Brasil e da América do Sul.\"

Fonte: Blog do Ex-VascoExpresso