PM vai se reunir com organizadas para evitar confrontos na decisão

17/07/2006 às 02h47 - TORCIDA

O clássico Flamengo e Vasco é famoso por conta da enorme rivalidade entre as duas equipes. Tanto dentro como fora do estádio, as brigas entre as torcidas já viraram rotina, o que acaba afastando muitas famílias dos jogos.

Ontem, no jogo válido pelo Campeonato Brasileiro, o clima estava mais tranqüilo. Por causa da final, as duas equipes acabaram utilizando alguns jogadores reservas. Essa atitude diminuiu consideravelmente o número de torcedores, contribuindo assim para que não houvesse nenhuma confusão nas imediações do estádio.

Antes do jogo, o Grupo especial de policiamento nos estádios (GEPE) escoltou a torcida vascaína até o Maracanã, mas apenas para evitar maiores problemas. Os torcedores foram protegidos até a rampa da UERJ, ponto de encontro dos vascaínos antes dos jogos.

Durante a partida, apenas um incidente foi registrado. A Torcida Jovem do Flamengo e a Força Jovem do Vasco perderam suas faixas por lançarem bombas de fabricação caseira na área das cadeiras, lugar da antiga geral. Durante o recolhimento das faixas rubro-negras houve um princípio de confusão, que foi logo controlado pelo GEPE.

Após a partida, os presidentes das duas facções - Bodão, pela Jovem do Flamengo e Betinho, pela Força - foram detidos e o major Marcelo declarou que as faixas serão devolvidas as torcidas.

Hoje, às 11h, acontecerá uma reunião do GEPE com as duas torcidas. O encontro será no Maracanã e servirá para revelar aos torcedores como será feito o policiamento e as escoltas para o primeiro jogo da final da Copa do Brasil.

Fonte: Lance