Ramon fala de figuras importantes do atual Vasco e ansiedade para o retorno

08/05/2020 às 08h23 - FUTEBOL

Assim como nos tempos de jogador, quando buscava soluções rápidas em direção do gol, Ramon Menezes segue inquieto agora na função de treinador do Vasco. Se antes decidia jogos com chutes e passes precisos do pé direito, hoje as mãos têm sido suas principais aliadas nessa quarentena. Não sai do telefone e do computador, seja para contatos diários com atletas, comissão técnica, direção ou com a imprensa, que vem lhe requisitando para muitas entrevistas.

Efetivado no cargo desde 30 de março, Ramon conta os dias para poder levar para a prática o que vem planejando de Vassouras, município localizado a 111 km do Rio de Janeiro onde está confinado com a esposa e as filhas. Enquanto isso, de longe, inicia um dos grandes projetos de sua vida em meio a uma das piores crises enfrentadas pela humanidade.

- Eu fui efetivado como treinador do Vasco, imagine só, né? Isso pra mim é um sonho no meio desse pesadelo todo que nós estamos vivendo.

Antes de levar o planejamento que tem feito para as quatro linhas, o mineiro de 47 anos o tempo todo se comunica, não se trumbica. Para manter constantes conversas com seus pares e pupilos, turbinou a internet dentro de casa.

- Eu não paro, você pode ter certeza. Estou falando com um, com outro, fico uma hora no telefone... Aí começo a ver jogo aqui, ver as coisas ali, montar treinamentos. Treinamentos voltados para uma ideia, para aquilo que eu pretendo utilizar.

Ramon se vê no auge desde que retornou ao Vasco, em dezembro de 2018, quando chegou para ser auxiliar permanente. Em sintonia com o grupo, diz-se satisfeito com o que tem em mãos e prevê evolução.

- Eu me encontro hoje no meu melhor momento dentro do clube, com afinidade dos jogadores e conhecimento de características dos atletas. Já estou há um bom tempo com eles, e isso me dá muita segurança. Muita vontade de trabalhar, de começar logo os trabalhos para que eu possa ajudar o clube e colocar o Vasco onde merece estar.

- Estou muito satisfeito com o grupo de jogadores. Eu sei que nós temos margens para trabalhar e melhorar muito. Então é embutir isso na cabeça dos jogadores e aí é o trabalho. É o trabalho que vai dizer onde nós vamos chegar.

Melhor jogo, gol mais bonito, título mais marcante: hoje treinador, Ramon elege seu top 7 como jogador do Vasco

Ansiedade à parte, o treinador cruz-maltino não deixa de frisar uma questão fundamental:

- O objetivo nesse momento sem dúvida nenhuma é pra que passe isso e que, quando houver essa possibilidade da volta, que seja uma volta com segurança. Porque a vida é o mais importante.

No papo com o GloboEsporte.com, Ramon também falou de figuras importantes do atual Vasco. Revelou o desejo de recuperar Marrony, o estudo de um posicionamento que pode fazer Guarín render ainda mais e boas informações sobre Talles Magno. Abordou o reencontro com Lopes e como tem se comunicado com comissão, atletas e dirigentes.

Talles Magno em franca recuperação

As últimas informações sobre ele são boas, essa parada para recuperação dele foi boa. É importantíssimo, um jogador que no ano passado foi muito bem, teve uma ascensão fantástica. Ele é diferente, do improviso, do drible. Então tem tudo pra nos ajudar muito nessa temporada. Conto muito com o Talles sem dúvida nenhuma.

Desejo de recuperar Marrony

Com ele, com o Marrony também, que é um jovem jogador. Esse ano ainda não conseguiu fazer gols. No ano passado, ele foi um dos artilheiros do time na temporada. É voltar e fazer com o que o Marrony volte a jogar bem e consiga voltar a fazer os gols também.

Posicionamento de Guarín com base em como o colombiano jogava na China

Procurei pegar principalmente esses jogos que nós fizemos nessa temporada e alguns jogos de atletas em outras equipes. Te dar um exemplo: ver o Guarín quando jogou na China, que me chamou muito a atenção porque ele fez vários gols lá. A maneira que ele está, o posicionamento em campo. Então presto atenção nesse tipo de coisa.

A gente tem feito muitas reuniões por videoconferência. Tem conversado assim toda semana com os departamentos, eles têm nos passado tudo a respeito dos atletas em todos os sentidos. Não só se eles estão treinando, mas também sobre alimentação. A psicóloga também participa e vê se eles estão precisando de alguma coisa, porque nesse momento é importantíssimo.

Reviu os 14 jogos do Vasco em 2020 e observa rivais

Estou vendo o posicionamento individualizado assim de cada atleta. Vejo os nossos jogos também, os jogos dos nossos adversários. De algumas equipes que eu gosto de ver jogar, como é o caso do Grêmio do Renato Gaúcho, Flamengo, Santos... Do Palmeiras, que hoje está sendo dirigido pelo professor Luxemburgo, que é o primeiro adversário do vasco no Campeonato Brasileiro.

Também observa os adversários do Carioca

E vendo também jogos dos nossos possíveis adversários no Carioca, do Macaé e do Madureira. Vi algumas vezes o jogo contra o Goiás (pela Copa do Brasil) fazendo estudos e conversando muito com os nossos dois analistas, que são o Edu e o Luquinhas. Então, esse trabalho tem sido feito.

Mais sobre o trabalho durante a quarentena

Fazendo todo meu trabalho aqui à distância, falando com todos os departamentos, falando com a diretoria, né? Com o professor Antonio Lopes, que, que está voltando para o clube.

Alegria de reencontrar Antonio Lopes

Uma felicidade muito grande em trabalhar novamente com o professor, que sempre foi uma referência para mim. Um cara excepcional, que vai nos ajudar muito conversando muito com a comissão técnica, com os auxiliares, com a preparação física também e com os médicos.

Planejamento pronto, porém indefinido

Está tudo preparado, todo montado o planejamento. Só que esse planejamento também é indefinido também, né? Porque nós não sabemos quando voltar, se os treinos vão ser individualizados, se vão ter mais jogadores em cada grupo. Mas a preparação tem sido feita.

Tempo passando rápido durante a quarentena

Passa rápido, pode ter certeza que o tempo está passando muito rápido. Quando a gente assusta, já está à noite. Mas isso aí faz parte, é a nossa profissão, é o que eu gosto de fazer também. Mesmo com a gente passando por esse momento, pelo menos estou com a condição de estar conversando com todo mundo e de fazer os trabalhos. Isso me deixa feliz.

Contato com os jogadores (Castan, Fernando Miguel e Andrey falam das conversas)

- Conhece cada jogador, características, tudo... Confio muito nesse grupo e que a gente pode dar a volta por cima e conseguindo ainda alcançar coisas grandes esse ano.

- Acredito que esse momento de contatos que o Ramon e o clube têm feito é justamente para explanar. Para trazer esse contexto novo e essa ideia nova de trabalho que vai se encontrar no clube através dele. Acredito que facilita e vai ajudar a desenvolver esse trabalho que a gente espera que seja de sucesso também.

- Sim, semana passada o Ramon me ligou. Conversamos um pouco sobre futebol, sobre essa quarentena. Ele perguntou se eu estou me cuidando e se estou cumprindo a rotina de treinos passada pelo Vasco. Também falou que está muito ansioso com essa volta aos trabalhos e que vamos gostar muito da filosofia de trabalho dele. E que vamos conquistar coisas grandes esse ano ainda.

Fonte: GloboEsporte.com