Vascaíno vira meme e ganha ajuda para ser barbeiro após "fama"

11/02/2020 às 08h31 - FUTEBOL

Após a vitória do Vasco por 1 a 0 sobre o Oriente Petrolero (BOL), na semana passada, pela Copa Sul-Americana, dois personagens foram bastante comentados nas redes sociais: um foi o atacante Germán Cano, autor do gol cruz-maltino, o outro foi Ewerton Rosa dos Santos, de 18 anos, agora conhecido como "Gordinho da Colina", que viralizou na internet com seus "animados" vídeos onde se esbaldava na arquibancada.

Com espírito empreendedor, o jovem de Santa Cruz (zona oeste do Rio de Janeiro) foi esperto e aproveitou os "minutos de fama" para divulgar seu trabalho como barbeiro.

Há cerca de dois meses, na varanda de sua casa, ele montou uma barbearia improvisada e oferece seus cortes a R$ 10. Com uma estrutura que ainda demanda investimentos, ele sensibilizou os integrantes da torcida "Vasdreia", que o presentearam com um banner de divulgação e uma máquina de cortar cabelo, motivo este que, além da vitória do Vasco, o fez ficar tão "animado" aquele dia.

"Eu comecei há pouco tempo. Tinha terminado os estudos e precisava correr atrás de alguma coisa. Daí tinha o curso de barbeiro e me formei no fim do ano passado. Depois comecei a agitar as coisas na varanda de casa, no improviso mesmo. Aí o pessoal da Vasdreia viu que eu estava dedicado e me ajudou com algumas coisas mínimas, como o banner e a máquina. E aí naquele jogo eu tinha acabado de ganhar a máquina, então, meio que juntou as duas coisas: eu estava feliz com a vitória do Vasco e também porque tinha ganho a máquina do pessoal da Vasdreia (risos)", disse Ewerton.

O empreendimento, porém, ainda não decolou. Ewerton possui poucos clientes em seu início. A Vasdreia, então, decidiu ajudá-lo novamente e criou uma vaquinha on-line com meta estipulada em R$ 2 mil para que ajude na estrutura de sua barbearia situada na localidade de Pedrinhas, em Santa Cruz (RJ).

"A gente chama ele de Babilônia [grupo de rap que Ewerton era fã]. Ano passado, ele começou a cortar cabelo na varanda da casa dele e mandava fotos para o grupo. A ajuda em si é porque ele é humilde, um vascaíno fanático, e nem todo mundo tem oportunidades iguais. A gente sempre pensa em ajudar os que precisam quando dá. E aí quando ele viralizou, eu falei para ele: 'Por qual motivo você não faz uma vaquinha? Vê o que precisa, os equipamentos, material, levanta os valores e nos passa. É uma coisa que você gosta, é para seu trabalho, não é sacanagem'. Então, ele achou legal e uma amiga dele fez o cadastro no site da vaquinha virtual. Para o texto, ele pediu minha ajuda, e eu fiz. Agora estamos ajudando a divulgar", disse Fábio Araújo, um dos integrantes da "Vasdreia" e responsável por sugerir a ideia da vaquinha.

Ewerton deu alguns detalhes de como é a estrutura atual de sua barbearia improvisada:

"O objetivo deles é que se torne uma coisa mais profissional. Está tudo muito no improviso. Minha cadeira é de computador, a bancada é uma mesa de bar que tem aqui em casa. Estão fazendo isso para poder ajudar e, futuramente, eu ter minha própria barbearia".

Autoestima contra o preconceito

Ao conversar com Ewerton, rapidamente se percebe que os vídeos em que viralizou acabam sendo pano de fundo de um rapaz humilde, dedicado, de espírito empreendedor e com muito carisma. A questão do sobrepeso, por exemplo, é encarada com leveza do alto de seus 18 anos. A começar pela alcunha de "Gordinho da Colina", onde ele se auto apelidou.

Em seu perfil no Twitter, tem como postagem fixada duas fotos onde aparece sem camisa na arquibancada de São Januário com a legenda: "Sabe os padrões de beleza? Então, eu comi".

Ao comentar o assunto, demonstra maturidade e autoestima:

"Eu acho maneiro. Eu sou muito tranquilo em relação a essas coisas. Talvez façam piada, mas nunca liguei para isso de ser gordinho, não. A pessoa que é acima do peso recebe muitas críticas, até de familiares e amigos, mas eu nunca liguei para isso, sou feliz demais do jeito que sou. Claro que tenho que me preocupar com minha saúde, mas não vou deixar de sair, curtir, porque estou acima do peso. Tem pessoas acima do peso como eu que não vão à praia, por exemplo, e isso jamais vai acontecer comigo".

Está à procura da "vascalinda"

Outro vídeo que tem viralizado de Ewerton é um no qual ele aparece reflexivo, olhando para a arquibancada de São Januário, enquanto a torcida canta. Na legenda a frase diz: "eis que você começa a pensar na vascalinda".

O que parecia ser somente uma brincadeira, de fato, é verdade. O "Gordinho da Colina" conheceu recentemente uma vascaína em um grupo de WhatsApp e havia marcado um encontro na partida entre Vasco e Bangu, pela Taça Guanabara. O "match", porém, não aconteceu e ele ainda segue à procura da misteriosa "vascalinda".

"A frase é muito verdade sobre o que estava acontecendo na hora, porque eu conheci uma vascaína no grupo de WhatsApp logo depois que fiz aquela postagem do 'padrão de beleza'. Ela surgiu, se interessou, estamos nos curtindo, mas ainda não nos conhecemos. A gente combinou no Vasco x Bangu, e aquela hora fiquei olhando procurando, estava 'na bad'. Não consegui encontrar", disse o vascaíno, que quando foi questionado se poderia publicar o nome de sua paquera, não hesitou: "Pode colocar. É Danila".

Vasdreia faz sucesso com humor

Responsável por ajudar Ewerton, a "Vasdreia" foi uma torcida criada para curtir os jogos do Vasco com humor e muita bebedeira. Auto intitulada de "desorganizada", ela tem como ponto de encontro um quiosque em frente à entrada social de São Januário, na rua General Almério de Moura. Por lá, se confraternizam e costumam realizar os "batizados" que deram origem ao nome da torcida, quando viram uma dose da bebida "Dreher".

Nas redes sociais, têm feito sucesso com suas postagens bem-humoradas sobre situações cotidianas do Vasco. No Instagram, por exemplo, somam mais de 31 mil seguidores, dentre eles alguns jogadores do elenco atual.

A torcida estuda a possibilidade de colocar uma cadeira de barbeiro no quiosque para que Ewerton corte o cabelo dos torcedores cruz-maltinos antes das partidas.

Fonte: UOL Esporte