Luxemburgo convocou a comissão técnica em peso para se apresentar

13/05/2019 às 21h58 - FUTEBOL

A reunião de quatro horas com a comissão técnica foi apenas uma prévia. Vanderlei Luxemburgo terá real noção do tamanho da encrenca que assumiu no Vasco a partir desta terça-feira, quando comandar o primeiro treino. Mas antes mesmo de “olhar nos olhos dos jogadores”, como disse depois de assistir à derrota para o Santos, ele já pode ter uma ideia do abacaxi que tem nas mãos.

Em termos de jogo, não há praticamente nada para se aproveitar, como revelam os números do site “Footstats”. O Vasco é uma equipe que joga sem a bola — tem apenas o 16º maior tempo de posse do Brasileiro — e que não sabe desarmar — é a 16ª do campeonato no percentual de acertos no fundamento.

Sem ter a bola e sem conseguir recuperá-la, o Vasco tem sido plateia do próprio jogo muitas vezes. Quando tem a posse, não dá continuidade — é apenas a 16ª no número de passes certos. Quando dá sorte e chega em condição de finalizar, não tem pontaria — é o 18º time em número de chutes certos.

Enquanto reforços não chegam, Luxemburgo terá de trabalhar com o que tem nas mãos, um grupo desequilibrado. O elenco vive carência de goleiro de confiança desde que Fernando Miguel se lesionou e falta também opções para atuar como primeiro volante. Contratado para ser a referência na criação, Bruno César não convenceu e não há armadores de qualidade à disposição. Henrique e Danilo, laterais-esquerdos do elenco, possuem a mesma deficiência de jogo na marcação.

Preocupação com Sidão

Luxemburgo convocou a comissão técnica em peso para se apresentar. Havia representantes de todos os setores — preparação física, análise de desempenho, departamento médico, massagistas e roupeiros. Não houve a presença de membros da diretoria. Alexandre Campello não participou do encontro e o departamento de futebol está sem um gestor desde a demissão de Faria.

Vanderlei Luxemburgo fará sua estreia pelo Vasco domingo, contra o Avaí, em São Januário, e precisará recuperar também a confiança da equipe. O lado psicológico do Cruz-maltino, que não tem mostrado capacidade de reação à crise, preocupa. Dos 28 jogos em 2019, em apenas um o Vasco conseguiu virar depois de sair atrás, contra o Avaí, pela Copa do Brasil.

Sidão receberá atenção especial depois de domingo, quando teve péssima atuação e ainda sofreu com zoações de internautas, que o elegeram o melhor do jogo.

Fonte: Extra